Marta ou Maria?

Valdenira Nunes

 

Com qual delas você se parece?

“… e certa mulher, por nome Marta, O recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria …” (Lucas 10:38,39).

Dentre tantas mulheres deixadas por Deus na Bíblia e que nos servem de exemplo , vamos conhecer mais duas que viveram no tempo de Jesus e que foram amadas por Ele. Marta e Maria viveram em um povoado chamado Betânia. Elas eram irmãs de Lázaro, grande amigo do nosso Senhor.
Ambas tinham personalidades diferentes mas, cada uma a seu modo, amava Jesus. O Senhor também amava muito esta família

Certo dia, quando Jesus chegou à casa delas, Marta o convidou para jantar.
Como era de se esperar, tanto Marta como Maria deveriam cuidar dos hóspedes preparando a comida, arrumando a casa e fazendo tudo aquilo que era serviço próprio da mulher. Mas … tudo aconteceu de modo diferente, pois enquanto …

1- Marta se preocupava com coisas materiais … Maria se deliciava com as coisas espirituais oferecidas por Jesus ;
2- Marta estava inquieta por estar trabalhando sozinha sem a ajuda da irmã … Maria repousava aos pés do próprio Deus sabendo que Ele supriria as necessidades materiais;
3- Marta se esforçava para cozinhar uma boa alimentação … Maria se esforçava para aprender mais do Senhor;
4- Marta foi censurada por Jesus … Maria foi elogiada por Ele.

Vendo Marta que ela fazia tudo sozinha, decidiu ir reclamar de sua irmã a Jesus. Ela disse: “Senhor, não se te dá que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude” (Lucas 10:40b)
Apesar de Marta ter reclamado de Maria a Jesus por ela estar trabalhando sozinha, sabemos que ela O amava. A sua maneira de demonstrar amor a Ele era sendo produtiva em seu trabalho, era suprindo as Suas necessidades físicas e, isto, ela fazia de todo o coração. Ela jamais imaginava que Ele a amava de qualquer jeito, pois ela já pertencia a Ele.
Apesar dela ter reclamado, Jesus respondeu amorosamente, indiferente aos costumes de Sua época, dizendo: “Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” (Lucas 10:41b-42).

Jesus aconselhava Marta a pensar nas coisas espirituais que são eternas e colocar as prioridades em seu lugar certo. Tudo tem seu tempo certo … tempo de cozinhar … tempo de descansar … tempo de aproveitar a presença do próprio Deus em sua casa e ouvir dEle lições preciosas para sua vida. Isto Maria fez e foi elogiada por Jesus. enquanto Marta ansiosa e afadigada não escolheu a boa parte que jamais lhe seria tirada.
É importante termos o nosso cantinho para, diariamente, nos deliciarmos com os momentos de comunhão com o Senhor.
Em nossa vida temos que colocar Deus em primeiro lugar, depois vem nosso marido e, depois, vem “o bebê” e os outros filhos maiores (muitas mulheres quando estão com um filhinho recém nascido esquecem que têm um marido que necessita dela, da sua atenção, do seu amor). Tenho que organizar a minha vida de modo que eu coloque todas as coisas em seu lugar certo, não esquecendo que tenho que ter também minha casa organizada, a comida sempre pronta e eu bem bonita para meu marido.

Por que, então, ficar afadigada e ansiosa com o muito trabalho esquecendo-nos da boa parte que nunca nos será tirada? A Bíblia nos diz que “A ansiedade no coração deixa o homem abatido” (Provérbios 12:25) mas, por outro lado … “O coração alegre aformoseia o rosto …” (Provérbios 15:13).
Marta, naquele momento, não tinha um rosto bonito, pois a ansiedade tomava conta do seu coração e ela estava abatida enquanto que Maria tinha um semblante bonito, pois o seu coração estava alegre.
Marta estava ansiosa, preocupada, mas a Bíblia nos diz que não devemos estar inquietas por nada … “Não estejais inquietos por coisa alguma …” (Filipenses 4:6).

Ao lermos esta história sobre Marta e Maria, sempre vemos Marta de modo negativo e Maria de modo positivo. Talvez eu e você tivéssemos reagido do mesmo jeito que Marta reagiu – reclamando de alguém que poderia estar nos ajudando e correndo para deixar tudo pronto na hora certa. Alguém tinha que preparar a comida mas Marta estava trabalhando com um espírito revoltado e não com um espírito cheio de júbilo pela oportunidade de servir ao próprio Deus.
Quantas vezes nos sentimos como Marta quando vamos receber alguém em nossa casa? Não devemos ficar apreensivas se não temos ninguém para nos ajudar mas devemos encarar estes momentos como momentos especiais e como uma oportunidade de mostrar o nosso carinho e afeto por aqueles que nos darão o privilégio de tê-los conosco.
Quando lemos em Lucas 10:38b que “Marta O recebe em sua casa”, vemos nela uma qualidade que é rara, hoje em dia, mesmo nas mulheres crentes … a hospitalidade.
Em 1 Pedro 4:9 nós lemos: “Sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmurações.”
Você é uma mulher hospitaleira?
Você fica tranqüila mesmo sabendo que seu marido convidou alguém para almoçar com vocês, sem avisar?
A hospitalidade é um dom e ter este dom agrada a Deus.
Há uma poesia de Bonnie Wheeler que fala sobre …

HOSPITALIDADE

É claro que creio em hospitalidade, Senhor.
Mas não na minha casa.

Não posso oferecer refeições caprichadas,
Meu pratos não combinam.
O sofá da sala precisa de conserto,
E o que vou fazer com as crianças?
O Senhor não compreende?

Mas, minha filha, eu compreendo.
Nunca tive casa, mas jamais mandei alguém embora;
Alimentei multidões com a comida mais simples –
Peixes e pães tomados de empréstimo.
É você que não compreende, filha.

Hospitalidade não é oferecer comida mais sofisticada
Nos pratos mais finos,
Numa casa imaculada, sem crianças.
Meu tipo de hospitalidade é especial:
Não são coisas, nem bens, nem tesouros.

Minha hospitalidade é compartilhar –
Você mesma,

Como eu fiz.

Amada irmã, apesar dos contratempos que houve, Marta foi uma mulher hospitaleira. Sua palavras proferidas após a morte do seu irmão Lázaro nos mostra que, realmente, ela era além de hospitaleira … uma mulher que amava o Senhor e que O aceitou como o seu Salvador. Ela disse: “Sim, Senhor, creio que Tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo” (João 11:27).

Maria era o oposto de Marta. Observando-a, vemos nela o tipo de mulher que gostaríamos de ter coragem de ser, pois foi ela quem …
1- Aproveitou aqueles momentos em que o próprio Deus estava em sua casa, apesar dos tantos afazeres que ela tinha;
2- Escolheu a boa parte, sem se preocupar com o serviço de casa que a estava esperando;
3- Assentou-se aos pés de Jesus para ouvir a Sua palavra sem se incomodar com as reclamações que viriam sobre ela.

Aos olhos da sua irmã Marta, ela estava sendo uma pessoa ociosa. Mas aos olhos de Deus, ela estava tendo coragem de colocá-Lo em primeiro lugar em sua vida.
Maria era dócil, corajosa e sabia que Deus deveria ser a pessoa mais importante para ela.

Em certa ocasião, seu irmão Lázaro adoeceu gravemente. Ela e sua irmã Marta mandaram chamar Jesus que chegou em Betânia quando ele (Lázaro) já havia falecido. O Senhor conversou com Marta e, depois, mandou chamar Maria que, chegando junto a Ele … “lançou-se aos Seus pés, dizendo-Lhe: Senhor, se Tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido” (João 11:32).
A Bíblia nos diz que Jesus perturbou-Se ao vê-la chorar. E Ele também “… chorou” (João 11:35).

Na hora da necessidade, Marta e Maria recorreram ao Senhor e é assim que eu e você devemos fazer quando tristezas, temores, medo … aparecem em nossas vidas. Devemos recorrer ao Senhor, abrir nosso coração e derramar sobre Ele todos os nossos anseios e desejos.
Jesus ressuscitou Lázaro mas não se sabe qual foi a reação das duas irmãs. Certamente, elas se alegraram e agradeceram ao Senhor e Deus de suas vidas.

Irmã, já aconteceu algo em sua vida que a deixou triste mas que depois você foi inundada de grande alegria? Um casamento refeito? A cura de uma doença em seu filho? Mas, qual foi a sua reação? Certamente, você agradeceu ao Senhor pelas bênçãos que recebeu, não foi?

Um outro acontecimento sucedeu também em Betânia quando Jesus decidiu ficar na casa de Lázaro, seis dias antes da Páscoa. “Fizeram-Lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estava à mesa com Ele” (João12:2). Maria entrou na sala onde se encontrava Jesus, Lázaro e outros e ungiu a cabeça do Senhor com um perfume muito caro e enxugou com seus próprios cabelos. Esta foi a maneira que ela encontrou de adorá-Lo e demonstrar seu amor por Ele.
Marta e Maria amavam Jesus. Cada uma demonstrava este amor que sentiam por Ele de modos diferentes. Enquanto Marta servia procurando suprir todas as necessidades do Senhor, Maria, corajosamente, O adorava com um amor inigualável sentando a Seus pés ou ungindo-O com o que ela tinha de melhor … um perfume muito caro.

E você, amada irmã, de que modo demonstra o seu amor Àquele que lhe deu a vida eterna? Como você demonstra que ama Jesus?

Que o Senhor nos dê capacidade para adorá-Lo com um amor que chegue até Ele como um perfume suave.

Que possamos tirar destas duas mulheres de Deus aqueles atributos que agradam ao Senhor.
Que possamos também refletir em tudo que conhecemos delas e, em seguida, nos fazer a seguinte pergunta …
COM QUAL DELAS EU ME PAREÇO?

Dalila

Mara Bueno

 

SEU CARÁTER : Prostituta de nacionalidade desconhecida, usou sua beleza para trair o amante e enriquecer.

SEU SOFRIMENTO : Sansão lhe mentiu, fazendo com que se tornasse ridícula em três ocasiões diferentes.

SUA ALEGRIA : Ter vencido um dos homens mais poderosos da história, entregando-o ao inimigo, aos filisteus.

TEXTOS-CHAVE: Juizes 16.4-22
Os dentes dela, muito brancos, brilhavam à luz do entardecer, enquanto um sorriso se entreabria em seus sábios macios e vermelhos. Os brincos de ouro cintilavam quando jogou a cabeça para trás e riu alto. A sorte batera à sua porta naquele dia. Nenhum amante pagara tão bem Dalila como Sansão.
Os reis filisteus odiavam o valente de cabelos longos que incendiara os seus campos e matara mil de seus homens. Cada um oferecera uma soma incrível – 1.100 siclos de prata – por ele! Dalila tinha apenas de contar-lhes o segredo da força de Sansão. A força dele não poderia competir com a dela, pois era nascida da beleza e aperfeiçoada nas artes do amor. Enfraquecido pela paixão, certamente ele lhe contaria tudo o que ela precisava saber.
– Se me amarrarem com sete tendões frescos, que ainda não secos, então, me enfraquecerei, e serei como qualquer outro homem (Jz 16.7) – respondeu ele diante da insistência dela.
Alguns filisteus esconderam-se no quarto e ela esperou até que Sansão adormecesse, e depois de envolvê-lo cuidadosamente com os tendões, exclamou : – Os filisteus vêm sobre ti, Sansão! (v.9)
Mas ele quebrou facilmente os tendões enquanto os inimigos fugiam.
Como um homem brincando com um gatinho, Sansão repetiu o ardil, enganando Dalila com invenções fictícias sobre cordas novas e cabelo trançado. A mulher finalmente confrontou-o:
– Como dizes que me amas, se não está comigo o teu coração? Já três vezes zombaste de mim e ainda não me declaraste em que consiste a tua grande força. (v15).
Cansado das importunações dela, Sansão cedeu.
– Nunca subiu navalha à minha cabeça, porque sou nazireu de Deus desde o ventre da minha mãe; se vier a ser raspada, ir-se-á de mim a minha força e me enfraquecerei e serei como qualquer outro homem (v.17).
Anos antes, quando ele ainda não havia nascido, um anjo dera instruções a sua mãe de que ele não deveria beber vinho, tocar em nada impuro e jamais cortar o cabelo. Devia ser dedicado ao Senhor de maneira especial e estava destinado a desempenhar um grande papel no plano de Deus na libertação de seu povo dos opressores filisteus. Homem forte, porém, incapaz de subjugar sua natureza impetuosa, Sansão quebrara estas ordens preferindo as boas graças de uma mulher ao favor de Deus.
Sentindo que ouvira, finalmente, a verdade, Dalila enviou uma mensagem aos filisteus. Depois de cortar o cabelo dele enquanto dormia, ela chamou novamente Sansão:
– Os filisteus vêm sobre ti, Sansão!
Dessa vez, Sansão acordou incapaz de resistir aos inimigos, que o agarraram rapidamente e lhe vazaram os olhos. A seguir, levaram-no prisioneiro para Gaza, onde passava os dias na escuridão, fazendo o trabalho das mulheres, moendo cereais.
Não ouvimos mais falar da bela, traiçoeira e agora rica Dalila, mas essas foram não foram as últimas notícias de seu amante. Os cabelos de Sansão voltaram lentamente a crescer; primeiro apenas uma lanugem que só protegia a cabeça, depois um pouco mais comprido, cobrindo as orelhas. Que mal um cego poderia fazer-lhes?, os filisteus devem ter raciocinado.
Certo dia, os filisteus fizeram uma grande celebração em honra a Dagon, deus da colheita, por ter entregue Sansão em suas mãos. Sem pensar no perigo que corriam, tiraram-no da prisão para divertir-se com o seu antes poderoso inimigo. Mas, quando Sansão ficou de pé entre as colunas do templo deles, orou: “Senhor Deus, peço-te que te lembres de mim, e dá-me força só esta vez, oh Deus, para que me vingue dos filisteus, ao menos por um dos meus olhos” (vs. 28). Assim, abraçou as duas colunas centrais do templo e empurrou-as com toda força. O teto caiu, e Sansão e seus inimigos foram sepultados juntos sob os escombros. Sansão matou mais filisteus com sua morte do que matara em vida.
A estranha história de Sansão e Dalila é pouco edificante. É tentador concluir que o egoísta e indisciplinado Sansão havia finalmente encontrado sua parceira na cobiçosa Dalila. A visitação de um anjo, o dom de uma força sobrenatural, um destino profético – bênçãos tão evidentes não puderam assegurar a dedicação de Sansão. Por que Deus usaria tal homem, capacitando-o a se tornar juiz em Israel? Que contraste com Débora, que julgara Israel um século antes! Israel vivia um período muito difícil em sua história, pois “cada um fazia o que achava reto” (Jz 21.25).
Pelo menos sob um aspecto, o papel de Dalila nessa narrativa sórdida assegura-nos de que Deus usará qualquer pessoa ou situação para cumprir seu propósito, até nossos inimigos. Nossa libertação é puramente uma questão de graça. Mas como seria melhor se nos tornássemos pessoas separadas para seu serviço, cuja força interior iguala-se a exterior, capacitando-nos a viver nosso destino certos de agradar a Deus.
O cabelo de Sansão desempenha, obviamente, um papel-chave na história de sua ascensão ao poder e de sua queda da graça. Ele usava os cabelos compridos penteados em sete tranças, por causa do vota nazireu (para maiores informações sobre isso, leia Números 6).
O formoso rei Absalao, filho do rei Davi, tinha tanto cabelo que precisava cortá-lo sempre, porque “muito lhe pesava”(II Sm 14.26). Os cachos cortados pesavam cerca de duzentos siclos (ou dois quilos)! Os cachos abundantes de Absalão acabaram finalmente por prejudicá-lo. Em meio a uma batalha, certo dia, sua cabeça ficou presa nos ramos de um grande carvalho (II Sm 18.9). O volume do cabelo dele contribuiu, sem dúvida, para isso. O homem que tentar tirar o reino do próprio pai ficou pendurado, indefeso, numa árvore, alvo fácil para os inimigos.
Antes de ser atirada para a morte, a rainha Jesabel, não só pintou os olhos com “enfeitou a cabeça”(II Rs 9.30). Os lindos cabelos da Amada no Cântico dos Cânticos são comparados ao “rebanho das cabras”, e a “cabeleira como a púrpura” (Ct 4.1; 7.5), enquanto o cabelo do Amado é descrito como “cachos de palmeira […] pretos como o corvo”. Os escritores do Antigo Testamento descreveram a vida até a idade avançada, quando o cabelo fica grisalho, como uma marca do favor e benção de Deus (Pv 16.31; 20.29). Uma mulher pecadora, aflita com seus pecados, derramou perfume nos pés de Jesus, lavou-os com suas lágrimas e enxugou-os com seus cabelos (Lc 7.38).
Nos dias do Novo Testamento, os homens usavam o cabelo mais curto e só as mulheres os deixavam crescer. Paulo foi bastante inflexível a esse respeito em I Co 11.6; 14.15. Tanto Paulo, quanto Pedro advertiram as mulheres de sua época especificamente sobre o “cabelo frisado”, aconselhando-as a se concentrar na beleza interior e não na exterior.
As mulheres gastam hoje muito dinheiro cortando, tingindo, ondulando e arrumando o cabelo. Lembre-se, porém, de que nem todo o dinheiro do mundo nem enfeites podem encobrir a falta da beleza interior. Antes de deixar o cabelo na última moda, deixe seu espírito com um comportamento adequado. Você ficará, então, bonita por fora e por dentro.

SEU LEGADO NAS ESCRITURAS

Leia Juizes 16.4-14
1. Por que Dalila mostrou-se tão pronta a trair Sansão? Por que você acha que Sansão, inicialmente, fingia que colaborava com ela dando respostas mentirosas?
2. Quais são os pontos fortes de Sansão? Quais são suas fraquezas?
3. Quais são os pontos fortes de Dalila? Quais são suas fraquezas?
4. Liste quatro áreas nas quais você se julga forte. Liste agora cinco áreas em que você se julga fraca. O que você pode fazer para fortalecer essas áreas fracas?

Leia Juizes 16.15-17
5. De que forma, exatamente, você acha que Dalila insistiu com Sansão até que ele contasse a verdade sobre sua força?
6. O que tal insistência provoca num relacionamento? Se você já insistiu demais com alguém para fazer algo, como se sentiu quando finalmente obteve o que queria?

Leia Juizes 16.18
7. Como é possível saber se alguém está falando a verdade? Qual é a importância de saber discernir a verdade? De seus filhos? De seu marido ou namorado? De seu pastor? Dos políticos?

Leia Juizes 16.19-22
8. Não só a força de Sansão o deixou, segundo o final do versículo 20, como também o Senhor o abandonou. Você acha surpreendente que Sansão não tenha percebido isso imediatamente? Por quê?
9. Em que ocasião de sua vida você se sentiu mais fraca espiritualmente? Sentiu-se dessa forma por causa de algo que fez?

Leia Juizes 16.23-30
10. Por que você acha que a história de Dalila é importante? O que ela nos ensina? Quem venceu, finalmente, nesta história?
11. Em que área de sua vida você precisa renovar sua fé para que o bem triunfe?

SUA PROMESSA
Até a história sórdida de Dalila e de seu amante, Sansão, transmite uma importante verdade: Deus nos ama e não nos abandona, mesmo quando cometemos erros e pecamos. Mais e mais, ao longo de toda a narrativa bíblica, vemos Deus usando pessoas que cometeram grandes pecados, gente imperfeita, que por sua própria insensatez falharam e, depois, reconheceram sua necessidade de Deus. O Senhor não abandonou Sansão, por mais insensato e pecador que fosse, e não vai nos abandonar, por mais insensatos e pecadores que sejamos.

Promessas nas Escrituras

“Não te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões. Lembra-te de mim, segundo a tua misericórdia, pro causa da tua bondade, oh Senhor.” (Sl 25.7)

“O Senhor é fiel em todas as suas palavras e santo em todas as suas obras. O Senhor sustém os que vacilam e apruma todos os prostrados.” (Sl 145.13,14)

“Fiel é o que vos chama, o qual também o fará” (I Ts 5.24

SEU LEGADO DE ORAÇÃO

“Como dizes que me amas, se não está comigo o teu coração? Já três vezes zombaste de mim e ainda não me declaraste em que consiste a tua grande força. Importunando-o ela todos os dias com as suas palavras e molestando-o, apoderou-se da alma dele uma impaciência de matar..” (Jz 16.15,16)

Medite
Juizes 16.4-22

Louve a Deus
Por ser soberano, capaz de usar nossos relacionamentos mais confusos para cumprir seus propósitos.

Agradeça
Por chamá-la para dedicar-se a Ele, separando-a de maneira especial.

Confesse
Qualquer tendência de manipular os outros.

Peça a Deus
Que a ajude a entregar qualquer relacionamento pouco sadio a Ele. Dê os passos que Deus a está chamando a dar.

Eleve o coração
Faça um inventário de seus relacionamentos mais importantes. Você construiu alguma forma de dependência pouco saudável? Um marido ou namorado está afastando você de Deus em vez de aproximá-la dele? Você assumiu compromissos que diminuem seu desejo de buscar a Deus? Em caso positivo, procure uma amiga ou conselheira em quem possa confiar. Orem juntas sobre a melhor atitude a tomar. Seja fiel aos compromissos conjugais, mas encontre um meio de restaurar sua paixão espiritual. Gaste algum tempo, agora, para escrever uma carta a Deus. Diga a Ele o quanto o ama e como deseja ficar em comunhão com ele. Não tenha medo de ser sincera : Deus procura homens e mulheres que o amem mais do que a própria vida.

Oração
Senhor, Tu conheces todos os conflitos do meu coração. Tu me criaste de modo tal que só Tu és capaz de satisfazer plenamente meus anseios. Todavia, sabes também como sou facilmente enganada, acreditando que relacionamento de carne e sangue poderá satisfazer minhas necessidades. Perdoa-me por todas as vezes em que coloque meu relacionamento com outras pessoas acima de meu relacionamento Contigo. Dá-me sabedoria, coragem e graça para amar-te com entrega total. Amém.

Rainha de Sabá: A mulher que procurou sabedoria

Valdenira Nunes

 

“Vendo, pois, a rainha de Sabá toda a sabedoria de Salomão … ficou fora de si.
E disse ao rei: Era verdade a palavra que ouvi na minha terra, dos teus feitos e da tua sabedoria.
Bem-aventurados os teus homens, bem-aventurados estes teus servos, que estão sempre diante de ti, que ouvem a tua sabedoria.
Bendito seja o Senhor teu Deus…” (1Re 10:4,5c,8,9).

No século VI a.C., havia uma rainha muito bela e muito rica que reinava na cidade de Sabá. Esta cidade ficava cerca de dois mil quilômetros da cidade de Jerusalém.
Neste tempo, os meios de comunicação eram muito precários. As notícias, mesmo com todas estas dificuldades, se espalhavam através de pessoas que andavam a pé ou viajavam em jumento ou camelo.
Lendo o livro de 1 Reis, conhecemos esta mulher que além de bonita e rica era também corajosa e decidida.
Notícias do rei Salomão, de sua sabedoria e do seu Deus chegavam até ela. Podemos imaginar o que ela, provavelmente, pensava: “Será verdade que exista um homem tão sábio sobre a face da terra?” e ainda: “Será que existe um deus tão poderoso que faça tantos milagres nesta terra tão distante?” E as perguntas tomavam conta de sua mente e ela continuava… “E se tudo isto for verdade? E se, realmente, este homem existe? E se este deus que tanto falam for verdadeiro?”
Indagações se misturavam em sua cabeça e então … ela fez uma decisão muito importante que iria mudar toda a sua vida: ELA IRIA ATÉ ISRAEL PARA VER SE TUDO O QUE ESTAVAM DIZENDO ERA VERDADE.
A sua viagem até Jerusalém seria muito longa mas … ela decidiu fazê-la. Reunindo soldados, servos, animais, presentes e bastante comida, ela partiu de Sabá rumo a Jerusalém, onde ela estaria frente a frente com o homem mais sábio do mundo, o rei Salomão. Calcula-se que a cada dia, ela viajava com toda a sua comitiva, cerca de trinta quilômetros. Isto ela fez por setenta e cinco dias.

Observando esta mulher decidida e corajosa que queria conhecer Salomão e, provavelmente, queria aprender de sua sabedoria, nos lembramos de nós, mulheres que almejam ser decididas, corajosas e sábias. Mas só existe uma “pequena diferença: para conseguir tudo isto não precisamos viajar quilômetros e quilômetros, pois temos diante de nós a Palavra de Deus com toda a sabedoria que o nosso Senhor quer colocar em nossos corações para que nos tornemos mulheres sábias e belas a Seus olhos. Infelizmente, para muitas de nós, esta sabedoria é inatingível, está longe demais, está difícil e é difícil de entendê-la. Mas a Palavra de Deus nos diz em Tiago 1:5 que “… se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus que a todos dá liberalmente…”

Irmã, assim como a rainha de Sabá, sejamos corajosas e coloquemos em nosso coração o desejo de aprender do Senhor, crescer em Seus caminhos e nos transformarmos em mulheres cheias de sabedoria.

O grande desejo desta rainha era não apenas conhecer o rei cuja sabedoria foi dada por seu Deus mas também conhecer o Deus que fez maravilhas na vida dele.
Ela era uma mulher que queria saber a verdade e queria ver com seus próprios olhos tudo que ela ouvira falar. O próprio Jesus a elogiou ao ver o seu esforço em vir de tão longe para conhecer a sabedoria de Salomão. Em Mateus 12:42, Ele disse que ela “… veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão.”

Irmã, não seria bom se o Senhor pudesse dizer de mim e de você … “Ela vem todos os dias ter momentos de comunhão coMigo e aprender de Mim para que possa se transformar numa mulher sábia e assim poder transmitir às outras mulheres o que Eu ensino a ela na Minha Palavra”?
Irmã, sejamos corajosas e fortes com as coisas do Senhor. Assim como a rainha de Sabá, não devemos medir esforços, nem distância, nem tempo para aprendermos mais sobre Aquele que não mediu esforços para morrer no meu e no seu lugar para nos dar a vida eterna. Devemos assim como ela, partir em busca de sabedoria.
Esta mulher merece, realmente, a nossa admiração, pois ela…

1- não se preocupou com o cansaço a fim de que pudesse alcançar seu objetivo;
2- não se preocupou com a distância, embora, provavelmente, tivesse que viajar uns setenta e cinco dias;
3- não se preocupou com quanto iria gastar com os presentes que ela estaria levando para o rei Salomão – muito ouro, especiarias e pedras preciosas.

O mais importante para ela era conhecer o rei Salomão, ver se, realmente, era como ela tinha ouvido falar e saber mais sobre o Deus que ele confiava.
Depois de uma longa e cansativa viagem, esta bela e rica rainha que veio ver e ouvir da sabedoria de Salomão, chegou a Israel com toda a sua comitiva: “com camelos carregados de especiarias, e muitíssimo ouro, e pedras preciosas” (1Re 10:2b). A Bíblia nos diz que ela “disse-lhe tudo quanto tinha no seu coração”, e ainda que “… Salomão lhe deu resposta a todas as suas perguntas, nada houve que não lhe pudesse esclarecer” (1Re 10:2c,3).

Quando a rainha viu a sabedoria de Salomão, a casa que ele fizera, a comida que havia na sua mesa, o modo de agir de seus servos, as suas vestes, os seus copeiros e os holocaustos que ele oferecia na casa do Senhor, a Bíblia nos diz que ela “ficou fora de si” (1Re 10:5b).

Ah, irmã, muitas de nós têm os corações endurecidos e não mais se maravilham …

1- quando ouvem a Palavra de Deus;
2- quando lêem a Bíblia;
3- quando cantam hinos de louvor ao Senhor;
4- quando oram.

Muitas de nós não sentem necessidade de sabedoria, pois a nossos olhos já somos suficientemente sábias.
Muitas de nós não sentem vontade de crescer espiritualmente para se transformarem em mulheres segundo o coração de Deus.
Como seria bom para nossas almas se alguém pudesse dizer de nós o que ela disse ao rei:
“Bem-aventurados os teus homens, bem-aventurados estes teus servos, que estão sempre diante de ti, que ouvem a tua sabedoria! Bendito seja o Senhor teu Deus, que teve agrado em ti …” (1Re 10:9a).
Como seria bom se alguém nos dissesse: “Bem-aventurados são aqueles que te cercam, teu marido, teus filhos e os que trabalham para ti e que têm a oportunidade de ouvir a tua sabedoria! Bendito seja o Senhor teu Deus, que teve agrado em ti…”
Ah, irmã, que privilégio ser uma mulher do agrado do Senhor!

Em 1 Reis 10:13 a Bíblia nos diz que… “… o rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo o que ela desejou, tudo quanto pediu, além do que dera por sua generosidade…”
E a rainha de Sabá partiu para a sua terra com seus servos, conhecendo não apenas o homem mais sábio do mundo – o rei Salomão – mas conhecendo um Deus que lhe deu um coração desejoso de buscar conhecimento não só das coisas terrenas mas das coisas eternas.

Em Mateus 6:21 a Palavra de Deus nos diz que “onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.”
Então, irmã, que o nosso tesouro esteja repousando nos braços do Senhor e que o nosso coração esteja almejando, ardentemente, crescer no pleno conhecimento de Deus, pois só assim Ele nos abençoará com sabedoria.

A mulher virtuosa

Valdenira Nunes

 

Em Provérbios 31:10 diz: Mulher Virtuosa quem a achará?

Este texto fala de uma mulher sadia, virtuosa, responsável e cheia do Espírito Santo de Deus. Trabalha de bom grado, tem prazer no que faz, uma mulher
que luta, mulher cheia de esperança, é uma mulher sábia.

Vamos entender melhor que é uma Mulher Virtuosa!

Apoiadora– Os maridos se sentem respeitados e honrados, quando ela apóia ele sente-se mais disposto a enfrentar desafios. Efésios 5: 22 e 24.

Auxiliadora– Em Hebraico significa “Circundar”. Ela circunda (cerca) o marido com apoio, exortação e conforto.
Coloque a disposição dele, todas as boas qualidades que há dentro de você para ajudá-lo a se tornar o homem que foi chamado a ser. Gênesis 2:18

Mulheres enfrentando com coragem as mudanças– Enfrenta mudanças drásticas com positividade e dignidade humana, e lança mão de todas as oportunidades de transformar o seu problema em possibilidade.

Administradora– É uma mulher que é capaz de ações mais distantes , é capaz de sair do âmbito imediato de uma cozinha,e segue a orientação do Espírito Santo, e investe sabiamente aquilo que foi economizado. Prov. 31: 13 a 27

Intercessora– alguém que discerne.A sua intercessão pelo marido e família lhe dá a certeza de que a mão de Deus está operando na vida deles.

A mulher que perdoa– O perdão é ato de vontade e não um sentimento. O amor não mantém um registro de erros I corint.13:5
Faça com que a sua vontade concorde com a vontade de Deus, e procure ser orientada pelo Espírito Santo . Salmos 103: 2-4
Não há limites para o número de vezes que devemos perdoar. Mateus 18:22
Devemos examinar a nós, e não o nosso conjugue Mateus 71:5 e Lucas 6:37
Antes de perdoar aos outros frequemente precisamos perdoar a nós. Jesus nos perdoou.

Mulher de fé– A fé é ativada pela voz, e crer no coração . Rom.10:10- Eu cri, por isso, é
que falei. II corint. 4:13
Visão de fé não significa ignorar as circunstâncias, mas sim vencê-las
Rm. 4:19-21

Mulher Virtuosa na Igreja– A nova mulher na nova Igreja, é a mulher Sem limites. Ela não é condenada mas redimida. Ao invés de viver em tormento ela vive em paz. No lugar
‘da confusão , ela tem a orientação divina. Sua enfermidade foi substituída pelo saúde divina. Sua pobreza se transforma em prosperidade da parte de Deus. (palavras de Dra. Daisy Washburn Osborn).

Mulher de Oração– Temos o exemplo de Ana (Estéril)- Ela cansou de ser motivos de risos para Penina(Fértil). sua rival. Ambas mulheres de Elcana. Em I Sam.1:9-13, diz que a 1a coisa que Ana fez foi ORAR!
E quem Ora está subvertendo as coisas. Quem Ora está fazendo ruir as estruturas. Quem Ora está usando as armas mais secretas e invencíveis à disposição do ser humano.
Ana ora, quando ela ora a força fica do lado dela.Diz a palavra que Ana chora, ela se curva , ela geme, ela derrama o coração perante o Senhor. Ela faz voto ao Senhor ela se compromete, o que ela diz é Tudo ou Nada:OH Deus intervenha! E Deus intervém e lhe dá um filho.
E no cap. 18:1- Antes dela ter relação sexual com o marido da qual ela vem a ficar grávida diz a bíblia que: Ela se levanta, enxuga as lágrimas e já não era tão triste o seu semblante, ela muda a cara e reveste com outra fisionomia.
Antes de estar grávida no ventre,”ela está grávida na mente.. Disse ela “Seu filho que está prometido virá.
Pela oração e fé , pela nova atitude frente a vida , frente ao marido, frente a existência é que ela vence a luta desigual. E a palavra diz que Ana gerou um dos grandes profetas da Bíblia, O profeta Samuel.
Este é o poder da mulher que Ora.

Mulher Virtuosa

A sua mente é a mente de Cristo
É uma mulher que não olha para as circunstâncias que a cercam.
A força e a dignidade são os seus vestidos, e quanto ao dia de amanhã não tem preocupações.
Os sentimentos que ela sente, são os de Cristo.
A sua decisão, é a decisão de Cristo.
Trabalho para ela é uma coisa boa.
Ela tem prazer no que faz.
Ela olha com os olhos de Cristo.
Suas palavras, são as palavras de Cristo.
A conclusão que ela tira, é a de Cristo.
É ainda noite e já se levanta e dá mantimento à sua casa de madrugada e tarefa às suas servas, deixa o roteiro do dia preparado, Prov. 31:15
Não é complicada, atrapalhada,egoísta, complexada, traumatizada.
Ela não precisa ler revista de como segurar um homem, ou de como ser feliz.
Ela não precisa assistir uma novela , para ter um referencial no seu casamento, na
sua vida pessoal ou profissional.
Seu referencial é Jesus!

Mulher Virtuosa : é uma Mulher Ilimitada em Cristo Jesus!! Marc. 9:23

Apesar de tantos momentos de tribulação, Rebeca sabia que o Senhor a amava e queria que ela fizesse parte do Seu povo e de Suas promessas.
Ela confiou no Senhor e sabia que Ele estava com ela nos bons e maus momentos de sua vida.
Rebeca foi uma mulher trabalhadora, generosa e usada por Deus para realizar Seus propósitos

Rebeca: Trabalhadora, Generosa e usada por Deus para cumprir seus propósitos

Valdenira Nunes

 

“E disse: Ó Senhor, Deus de meu senhor Abraão, dá-me hoje bom encontro, e faze beneficência ao meu senhor Abraão! Eis que eu estou em pé junto à fonte de água e as filhas dos homens desta cidade saem para tirar água; Seja, pois, que a donzela, a quem eu disser: Abaixa agora o seu cântaro para que eu beba; e ela disser: Bebe, e também darei de beber aos teus camelos; esta seja a quem designaste ao teu servo Isaque, e que eu conheça nisso que usaste de benevolência com meu senhor” (Gênesis 24:12-14).

Esta foi a oração do servo de Abraão, Eliezer, quando já se encontrava nos arredores da cidade de Naor. Esta era uma oração de quem estava necessitando da ajuda de Deus. Era uma oração onde ele não pedia que o Senhor mostrasse a ele uma mulher perfeita, bonita mas uma mulher que fosse piedosa e que Ele (Deus) estivesse preparando para Isaque, filho do seu senhor Abraão.
Esta é a oração que deveríamos fazer em favor de nossos filhos. Que o Senhor coloque na vida deles pessoas crentes, piedosas, bondosas, compassivas, fiéis e de beleza interior sem igual. Que os atributos de uma mulher ou de um homem de Deus, encontrados em 1 Pedro 3:3-4, façam parte da vida daqueles que almejamos para nossos filhos… “O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos; Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.”
Ah, irmã, é este tipo de mulher que queremos para nossos filhos!

O Senhor ouviu a oração de Eliezer e encaminhou Rebeca para junto dele. Ele viu que o Senhor respondeu a sua oração quando…
1- Ele viu Rebeca “… com seu cântaro sobre o seu ombro” (Gênesis 24:15) vindo em direção ao poço para apanhar água. Certamente, ele percebeu que ela era uma jovem trabalhadodra e que não media esforços para abastecer a sua casa da água que todos precisavam.

Você é o tipo de mulher que arregaça as mangas e pega no pesado? Ou você acha que este tipo de trabalho não é para você?
Sabe de uma coisa, irmã? Deus elogia a mulher que “cinge os seus lombos de força e fortalece os seus braços” (Provérbios 31:17) e Ele ainda diz que “a força e a honra são seu vestido…” (Provérbios 31:25).
Rebeca era trabalhadora e, portanto admirada por Deus.
Eliezer percebeu esta qualidade nela quando…

2- Ele pediu água a Rebeca “e ela disse: Bebe, meu Senhor” (Gênesis 24:18). E vendo ela os dez camelos que estavam com ele, ainda disse: “Tirarei também água para os teus camelos até que acabem de beber” (Gênesis 24:19).
Certamente, naquele momento, o servo de Abraão percebeu uma outra qualidade desta bela mulher de Deus… ela gostava de servir, era bondosa e tinha um coração cheio de amor pelo próximo.
Que atributos perfeitos para uma mulher que deseja ser admirada pelo Senhor! Se eu quero ser admirada pelo Senhor, tenho que começar “agora” a seguir os mesmos passos de Rebeca, tenho que ser uma mulher sensível às necessidades do meu próximo e procurar fazer tudo além do que é preciso.

3- Ele, então perguntou a ela: “De quem és filha?” (Provérbios 24:23) e ela respondeu: “Eu sou a filha de Betuel, filho de Milca, o qual ela deu a Naor” (Sara, mãe de Isaque, era tia-avó de Rebeca).
Tudo estava acontecendo dentro do plano perfeito de Deus para as vidas de Rebeca e Isaque.

Amada irmã, quando estamos caminhando com Deus lado a lado, quando estamos tendo comunhão diária com Ele, lendo a Sua Palavra, orando e, principalmente, seguindo os ensinamentos da Bíblia, então o Seu plano para a nossa vida se realiza e sentimos que Ele está no controle de tudo, nos abençoando.

4- Ele disse: “… Há também em casa de teu pai lugar para nós pousarmos?” E ela, amorosamente e com um espírito hospitaleiro (ele, certamente, percebeu este outro atributo que ela possuía) disse: “Também temos palha e muito pasto, e lugar para passar a noite” (Gênesis 24:25).

E a Bíblia nos diz que depois de tudo isto, ele “… inclinou-se… e adorou ao Senhor” (Gênesis 24:26).

“Um lar cristão é o mais belo retrato terreno do céu e um refúgio para a nossa sociedade cansada e estressada” (Elizabeth George).

Quantas mulheres hospitaleiras o Senhor nos apresenta na Sua Palavra! Dentre tantas que abriram suas portas para acolher homens de Deus destacamos…

1- Rebeca – amorosa e trabalhadora, hospedou em sua casa Eliezer, servo de Abraão.
2- Sunamita – generosa e piedosa, hospedou em sua casa Eliseu, um profeta de Deus.
3- A viúva de Sarepta – cheia de fé e muito hospitaleira, hospedou em sua casa Elias, um profeta de Deus.
4- Marta – trabalhadora, ativa e determinada, hospedou em sua casa Jesus e Seus discípulos.
5- Maria – cheia de fé e piedosa, hospedou em sua casa Jesus e Seus discípulos.
6- Lídia – batalhadora, evangelista, hospedou em sua casa o apostolo Paulo.

Que nós, como mulheres de Deus, possamos seguir os passos da hospitalidade que estas mulheres seguiram. Sejamos hospitaleiras!
Quantos homens ou mulheres de Deus você já hospedou em sua casa? Irmã, não espere que apareça um dinheirinho extra para você comprar toalhas novas, lençóis novos, mudar o conjunto da sala de visita… para você convidar alguém para a sua casa. Lembra da viúva que só tinha um pouco de azeite e um pouco de farinha para fazer o último bolo para ela e seu filho? E, mesmo assim, ela não se incomodou de ter em sua casa o profeta de Deus dando a ele aquela última porção de comida. Assim como Deus a abençoou, fazendo com que o azeite e a farinha se multiplicassem, Ele também a abençoará quando você tiver este mesmo espírito de hospitalidade.

Pela fé, Rebeca viajou 800 km com o servo de Abraão para se encontrar com Isaque, aquele que ela nunca vira mas que iria ser tornar o seu esposo. Ela não o conhecia mas sabia que o Senhor o preparara para ela.
Podemos imaginar o momento do encontro. Aqueles doces momentos do primeiro encontro com aquela pessoa especial que iria ser seu marido. Era um presente que o Senhor estava dando a ela. Ela estava feliz! A Bíblia nos diz que “… Isaque trouxe-a para a tenda de sua mãe Sara, e tomou a Rebeca, e foi-lhe por mulher…” (Gênesis 24:67).

Assim como Rebeca que deixou a sua família para unir-se a Isaque, nós também devemos deixar nossa família e acompanhar nosso marido para onde quer que ele vá. Lembremos que, depois de Deus, a pessoa mais importante da nossa vida é nosso marido. Devemos continuar amando nossos pais, cuidando deles mas nunca devemos colocá-los (como prioridade) na frente do nosso esposo.

Apesar de Rebeca ser feliz no casamento e ser uma verdadeira mulher de Deus, ela teve que enfrentar momentos difíceis em sua vida mas venceu a todos por causa da sua fé. Vários foram estes momentos mas destaquemos alguns…

1- Ter que se separar das pessoas que amava quando partiu para Canaâ, foi muito difícil para ela.
Ela partiu para esta terra distante sabendo que nunca mais veria nem seus pais nem seus irmãos mas, pela fé, ela conseguiu superar estes momentos.

2- Rebeca sabia que o que existia de pior em um casamento era o período de adaptação. Também pela fé, ela conseguiu se adaptar à vida de casada e era muito feliz.

3- Ela teve que passar vinte longos anos sem ter filhos. Ela era estéril e isto a deixava preocupada e angustiada. Mas ela decidiu levar as suas preocupações até o altar do Senhor e Ele ouviu a sua oração e, pela fé, ela ganhou do Senhor dois filhos gêmeos – Esaú e Jacó.

Dorcas – Um exemplo de bondade e amor ao próximo

Valdenira Nunes

E havia em Jope uma discípula chamada … Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia” (Atos 9:36).

Morava em Jope, numa cidade da costa do Mediterrâneo, uma mulher muito preciosa chamada Dorcas. Seu nome significava gazela e em hebraico ela era Talita. Muito querida por todos que habitavam ali, ela procurava fazer túnicas e vestidos para as viúvas e necessitados e, para isso, não media esforços. Ela tinha um coração piedoso e não queria que ninguém passasse necessidade ou sofresse.
Na congregação que ela freqüentava, ela trabalhava com muito amor e dedicação. Esta era a Dorcas que todos conheciam, amavam e confiavam.
A sua vida é um exemplo para a minha vida. Mas …

1- O que eu estou fazendo para servir ao meu próximo da melhor maneira possível?

2- Como estou agindo ao perceber a necessidade do meu irmão?

3- Como estou usando o dom e as habilidades que Deus me deu?

4- Sou sensível às necessidades do meu próximo?

Com certeza, uma outra grande mulher de Deus tinha os mesmos atributos de Dorcas. Ela era Catarine Booth, uma verdadeira mulher de Deus que não só amava o Senhor mas amava também as pessoas necessitadas. Ela os ajudava com seus bens materiais mas não esquecia de alimentá-los, principalmente, da Palavra de Deus.
O seu coração era, suficientemente, grande para acolher ricos ou pobres que estivessem necessitando dela.
Além de ter um coração grande, ela também tinha um coração sensível às necessidades espirituais daquelas pessoas ao seu redor.
O povo a amava tanto que, no dia de sua morte, multidões foram dar o seu último adeus àquela que tanto bem fizera a eles.

Vejam, amadas irmãs, que duas grandes mulheres de Deus! Os seus nomes estão, com certeza, gravados na galeria das mulheres segundo o coração de Deus.
Elas não eram mulheres diferentes de nós. Viviam neste mundo, traziam com elas a natureza velha mas procuravam superar tudo doando de si mesmas àquelas pessoas que precisavam delas.

A história de Dorcas é muito bonita e muito cheia de amor pelas pessoas. Ela era boa e tinha um bom coração mas … era humana e, um dia, ela tinha que morrer. A sua morte foi chorada e lamentada por muitas pessoas mas, desta vez, ela nada pôde fazer para aliviar o sofrimento deles. O Senhor, no entanto, estava com eles.

Lembro-me das palavras de Donna Rice que, no auge do seu sofrimento, proferiu as seguintes palavras: “Depois daquele grave acontecimento, quando eu orava dizendo ‘ Deus, queria que estivesses aqui para conversar comigo, envolver-me em Seus braços e enxugar minhas lágrimas’, passei a sentir que Ele estava fazendo tudo isso – por intermédio dos cristãos que me cercavam. Foi aí que comecei a entender que a igreja não é um prédio; é o corpo de Cristo. Em meio à minha dor, Deus deu-me amigos cristãos que me ensinaram sobre o amor e o perdão.”

Deus nunca nos abandona, assim como não abandonou aquelas que choravam por causa da morte de Dorcas.

A Bíblia nos diz que “… ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, lhe mandaram dois homens, rogando-lhe que não se demorasse em vir ter com eles” (Atos 9:38). Pedro, prontamente, atendeu ao chamado deles e foi para Jope. Chegando lá, viu várias pessoas chorando a morte de Dorcas. Algumas viúvas mostravam as túnicas e roupas que ela lhes havia dado. Pedro então mandou que todos se retirassem do quarto, orou fervorosamente e, ao se aproximar dela, disse: “Talita, levanta-te. E ela abriu os olhos, e, vendo a Pedro, assentou-se. E ele dando-lhe a mão, a levantou e, chamando os santos e as viúvas, apresentou-lha viva” (Atos 9:40b-41).

Dorcas foi a única mulher da Bíblia a ser chamada de discípula, ou seja, seguidora de Jesus, aprendiz, aquela que se senta aos pés do seu mestre…

Você é uma discípula de Jesus?
Você se deleita lendo a Bíblia, diariamente?
Você sente alegria no coração quando ouve pregações sobre o seu Salvador?

Eu quero ser uma discípula e seguidora de Jesus. Quero …

a) seguir os Seus ensinamentos …
“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura” (Marcos 16:15);

b) seguir o Seu modo simples de vida …
“E disse-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça” (Lucas 9:58);

c) seguir os Seus passos falando da vida eterna aos perdidos …
“Quem crê nEle não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê o nome do unigênito Filho de Deus” (João 3:18);

d) seguir os Seus passos orando ao Pai …
“E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus” (Lucas 6:12);

e) seguir os Seus passos amando os necessitados …
“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).

Assim como Dorcas que glorificou a Deus através de seus atos de bondade, glorifiquemos também ao Senhor sendo mulheres generosas, de corações sensíveis e ajudando aqueles que estão necessitados.
Quantas de nós possuem talentos dados por Deus e se esquecem de usá-los para ajudar alguém?
Procuremos ter um coração amorosos e sensível, pois isto é o que agrada o Senhor.
Ser amoroso é um dos atributos de Deus mas muitos de Seus atributos “são maravilhosos demais para compreendermos. Porém, mesmo que sejam obscuros ao intelecto, deixe que eles iluminem sua alma.”
Há uma frase muito bonita de Everett Hale (minha oração é que ela possa ser sua e minha também): “Eu sou apenas um, mas sou alguém. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. Tenho o dever de fazer tudo o que posso e, com a ajuda de Deus, serei capaz.”

“Senhor Deus, meu Pai, transforma a minha vida e muda o meu coração!
Que eu tenha a minha alma sensível às ovelhas perdidas e necessitadas a meu redor.
Que eu possa, Pai, aprender de Ti este amor que tens pelos Teus filhos e, que este amor, eu possa investir em vidas.
Amém!

A mãe de Sansão

Valdenira Nunes

“E havia um homem … cujo nome era Manoá; e sua mulher, sendo estéril, não tinha filhos” (Juízes 13:2).

Dentre tantas flores do jardim de Deus estão as Rosas, Hortênsias, as Saras, as Anas, as Rebecas e … aquela linda flor cuja fragrância chega até o Senhor com cheiro suave. É ela a esposa de Manoá.
Enquanto tantas flores do jardim de Deus tinham nomes, ela era conhecida apenas como … a esposa de Manoá. Eu não sei e você também não sabe o nome dela mas o Senhor sabe e a apresenta como uma mulher de valor.
Estudando sobre esta flor, bela aos olhos de Deus, descobrimos que seu perfume vem de sua humildade, de sua fé, de seu caráter.
A Bíblia nos diz que ela era casada com Manoá, “… homem de Zorá, da tribo de Dã …” (Juízes 13:2).
Assim como Sara, Rebeca, Ana e Isabel, ela também era estéril mas confiava no Deus que ouve e responde orações.
A sua vida não foi fácil, pois, em Israel, uma mulher não ter filhos significava que estava em pecado e, por isso, Deus a estava castigando. Muitos a olhavam com um ar de censura e isto deixava a sua alma angustiada. Por causa de tamanho sofrimento que ia além de suas forças, ela se achegou mais ao Senhor. Ela, mais do que nunca, estava precisando da Sua ajuda.

Muitas vezes me encontro na mesma situação da esposa de Manoá … precisando, urgentemente, da ajuda do Senhor. É quando, então, me achego mais a Ele, começo conversar com Ele, apresentando tudo aquilo que está me perturbando com um espírito humilde e de submissão.
A esposa de Manoá tinha, diante do Senhor, um espírito humilde que muito O agradava.

Quando colocamos, com humildade, a nossa vida no trono de Deus, tudo em nós é transformado e a nossa fé se fortifica.

Deus ouviu a oração da esposa de Manoá que com muita fé rogou a Ele que mudasse a sua vida e lhe desse um filho. O Senhor não só a ouviu como procurou dar a ela muitas bênçãos.
Juízes 13:3-5 nos mostram de que maneira ela foi abençoada …
“E o anjo do Senhor apareceu a esta mulher, e disse-lhe: Eis que agora és estéril, e nunca tens concebido; porém conceberás, e terás um filho. Agora, pois, guarda-te de beber vinho, ou bebida forte, ou comer coisa imunda. Porque eis que tu conceberás e terás um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu de Deus desde o ventre; e ele começará a livrar a Israel da mão dos filisteus.”

Assim como a esposa de Manoá que, humildemente e com fé, orou ao Senhor fazendo-lhe um pedido que vinha do fundo do seu coração, nós também, com humildade e fé, devemos colocar no altar do Senhor os nossos problemas sabendo que a Sua resposta será o melhor para a nossa vida.

Como seria nossa reação diante destas bênçãos que a mulher de Manoá recebeu?

1- Primeiramente, seria um privilégio receber em minha casa o Anjo do Senhor. Esta seria a primeira bênção que eu receberia acompanhada de uma alegria indescritível.

2- Depois, quando o Anjo do Senhor me dissesse que eu teria um filho, com certeza, meu coração exultaria de uma alegria sem igual. Esta seria a segunda bênção.

3- Em seguida, quando Ele me desse algumas instruções que deveriam ser seguidas por mim, eu iria perceber o quanto o Senhor estava se importando comigo. Esta seria a terceira bênção.

4- Finalmente, quando Ele me desse algumas instruções a respeito daquele filhinho que eu tanto almejava, eu iria perceber o quanto Ele estava se importando com ele. Esta seria a quarta bênção.

Foi assim que a esposa de Manoá se sentiu. Ela era uma pessoa importante para o Senhor que a estava abençoando por causa da sua forte fé. Ela não fez perguntas, não duvidou de nada mas saiu para contar a seu esposo dizendo: “Um homem de Deus veio a mim, cuja aparência era semelhante de um anjo de Deus, terribilíssima; e não lhe perguntei donde era, nem ele me disse o seu nome. Porém disse-me: Eis que tu conceberás e terás um filho; agora pois, não bebas vinho, nem bebida forte, e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre até ao dia da sua morte.”

Você tem este mesmo sentimento de fé da mulher de Manoá?
Você crê na Bíblia e nas palavras do Senhor?
Amada irmã, siga os passos da mulher de Manoá que não só amava o Senhor como cria nas Suas palavras e obedecia a Ele.

Vejamos o que o Anjo do Senhor disse a ela sobre o seu filho …

1) Ele seria nazireu desde o seu ventre até o dia que ele morresse. Não podia tomar vinho, nem bebida forte e nem comer coisa imunda. Sabemos que ela foi uma mulher obediente e fez, exatamente, como o anjo lhe disse.

2) Ele iria libertar o povo judeu das mãos dos filisteus.

Tudo que aprendemos do Senhor, assim como ela, devemos transmitir a nossos filhos. Coloque a Palavra de Deus em seus corações e peça ao Senhor que, no futuro, Ele os livre das influências do mundo e os firme em Seus caminhos.

Devemos amar o nosso Deus e, diariamente, agradecer a Ele as inúmeras bênçãos derramadas em nossas vidas … Sua proteção e cuidado diário.

“Senhor, que o meu caminhar diário chegue a Ti como um perfume suave!
Que eu possa ser colocada no meio das flores do Teu jardim e me transformar em uma delas.
Amém!”

A Bíblia nos diz, em Juízes 13:24, que a mulher de Manoá teve “um filho, a quem pôs o nome de Sansão; e o menino cresceu, e o Senhor o abençoou.”

Até aqui a conhecíamos como a mulher de Manoá, agora, a chamaremos de mãe de Sansão, que foi juiz em Israel e foi considerado o homem mais forte que já existiu na face da terra.
Antes, ela era uma mulher triste. Agora, ela se transformou em uma mulher feliz e realizada.

Amada irmã, eu e você devemos agradecer a Deus pela bênção de ser mãe e pelas lições preciosas que aprendemos na Sua Palavra quando ela nos diz:

“Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão” (Salmos 127:3).

“Faz com que a mulher estéril habite em casa, e seja alegre mãe de filhos. Louvai ao Senhor” (Salmos 113:9).

“Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele” (Provérbios 22:6).

“E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor” (Efésios 6:4).

“Obrigada, Senhor, porque és um Pai que nos ensinas.
Obrigada, porque confiaste em mim, dando-me cinco filhos maravilhosos para criar.
Que eu, juntamente, com eles possamos adorá-Lo e sermos sempre agradecidos a Ti por toda a eternidade.”

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Deus nos abençoe, à medida que nos esforçamos para melhor obedecê-Lo.

“Quem crê nEle não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” (João 3:18).

“Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!” (Sl 42:1)

Valdenira Nunes de Menezes

Priscila, a grande propagadora do evangelho

Valdenira Nunes

“Saudai a Priscila e a Áquila, meus cooperadores em Cristo Jesus,
Os quais pela minha vida expuseram as suas cabeças; o que não só eu lhes agradeço, mas também todas as igrejas dos gentios” (Romanos 16:3-4).

Há alguns anos atrás, quando meu marido e eu tínhamos a igreja de Campina Grande se reunindo em nossa casa, o nosso pastor nos chamava de “Áquila e Priscila”. Mas… quem eram estes dois personagens bíblicos que ainda não conhecíamos? Como ainda estávamos engatinhando no conhecimento da Bíblia, procuramos fazer esta descoberta que muito nos serviu para crescermos, espiritualmente, e aumentar o nosso desejo de servir a nosso Deus.

Mas, olhando para trás, vejo o quão longe estávamos de parecer com aquele casal que arriscou as suas vidas para salvar a vida do apóstolo Paulo que era um homem dedicado de corpo e alma à pregação do evangelho.
A Bíblia nos diz que Paulo veio de Atenas para Corinto e, aí, conheceu Áquila e Priscila e “ajuntou-se com eles” (Atos 18:2c).
Sabemos que eles tinham muitas coisas em comum:

1- Paulo era um fazedor de tendas, assim como Priscila e Áquila.
“E como era do mesmo ofício, ficou com eles,e trabalhava; pois tinham por ofício fazer tendas” (Atos 18:3).

2- Paulo amava levar as boas novas aos perdidos assim como Priscila e Áquila.
“… foi Paulo impulsionado no espírito, testificando aos judeus que Jesus era o Cristo” (Atos 18:5b).
“Saudai a Priscila e a Áquila meus cooperadores em Cristo Jesus” (Romanos 16:3).

Pouco a pouco, o evangelho foi crescendo em Corinto mas, por um lado, havia pessoas que não estavam satisfeitas com este progresso e, por outro, havia aqueles que queriam aproveitar tudo que estava acontecendo e fazer os mesmos milagres que Paulo fazia. A Bíblia nos diz o seguinte: “E alguns dos exorcistas judeus ambulantes tentavam invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, principal dos sacerdotes” (Atos 19:13-14). Como não podia deixar de ser, o resultado não foi muito bom para aqueles homens, pois o espírito maligno além de zombar deles, usou o homem possesso para espancá-los e fazê-los fugir sangrando, assustados e desnudos.
Com todas estas coisas acontecendo, começou, então, a se formar um motim. Priscila começou a ficar preocupada por causa do risco de vida que o apóstolo Paulo estava correndo. Ele, porém, queria conversar com os homens revoltados mas, convencido por Priscila e Áquila, desistiu deste seu intento.

Observando a preocupação destes servos do Senhor, podemos nos fazer as seguintes perguntas: Quando o meu pastor ou algum outro líder da igreja estão sendo atacados ou perseguidos porque…
1- estão lutando pela verdade do evangelho…
2- estão provando que Deus tem poder para preservar a Sua palavra…
3- não estão aceitando doutrinas criadas por homens…
4- estão procurando seguir o que ensina a Bíblia…
… o que faço para apóia-los? Lutarei junto com eles?
Com certeza deveríamos fazer como Priscila e Áquila que expuseram as suas cabeças para salvar Paulo das mãos de seus perseguidores.

Procurar seguir o que a palavra de Deus diz, muitas vezes, é ser “quadrado”, é não entender que “hoje tudo é mais moderno, é mais natural.”

Amada irmã, apoiemos nosso pastor ou os líderes da nossa igreja quando vemos que eles estão lutando ao lado do Senhor e por isto são perseguidos. Não importa se aqueles perseguidores vão nos odiar, pois “mais importa obedecer a Deus do que aos homens”, mesmo que sejamos uma minoria. Já ouvi dizer que uma minoria com Deus é maioria. Amém!
Foi exatamente isto que Priscila e Áquila fizeram. Mesmo sendo em número menor eles “expuseram as suas cabeças” pela vida de Paulo.

Priscila não tinha medo nem vergonha de falar de Jesus àquelas pessoas que criam em outros deuses. Ela era uma mulher impetuosa, batalhadora e tinha um alvo… evangelizar os perdidos falando do plano de salvação através de Jesus Cristo.

Você e eu, amada irmã, devemos seguir os passos dela…
a) evangelizando as pessoas que estão a caminho do inferno;
b) evangelizando as pessoas enquanto existe liberdade para fazermos isto;
c) evangelizando o quanto antes, pois não sabemos se, no futuro, só poderemos nos reunir, às escondidas, em cavernas para ouvir de Cristo e falar dEle.

“Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos” (Salmo 126:6).

Acho que a volta de Cristo está próxima e o tempo que temos para apresentarmos a palavra de Deus é muito pouco. Obedeçamos ao “ide” de Jesus e nos transformemos em mulheres como Priscila e Lídia que não mediram esforços para ajudar na obra do Senhor evangelizando os perdidos.

Não sei qual a posição que você ocupa na igreja (presidente da sociedade feminina, professora de Escola Dominical, zeladora…), mas de uma coisa eu tenho certeza é que para Deus você é muito importante e muito preciosa.

Priscila nos deixou muitos exemplos a serem seguidos. Ela…
I- era uma grande evangelista (falou de Cristo primeiro em Roma, depois em Corinto e em Éfeso);
II- era uma mulher trabalhadora (ajudava o marido na confecção de tendas e artigos de couro);
III- era hospitaleira (convidou o apóstolo Paulo para ficar em sua casa e abriu as portas da sua casa para acolher a igreja de Deus);
IV- era uma mulher cheia de fé (mesmo sofrendo perseguição não desanimou, nem deixou de servir a Deus);
V- era uma serva do Senhor (com o coração aberto e a mente atenta procurava aprender e crescer nos caminhos do Senhor a fim de servi-Lo melhor);
VI- era uma boa professora (vendo o irmão Apolo ensinar somente aquilo que aprendeu com João Batista e não o que Jesus havia ensinado, secretamente, chamou-o e, juntamente com Áquila, o instruiu na verdadeira doutrina).

De que modo você pode aplicar o exemplo de Priscila em sua vida?
Você a arriscaria por amor a Cristo, assim como fez ela?
Você já sofreu algum dano por amar tanto a Jesus?

Minha oração é que quando morrermos e chegarmos lá no céu, possamos ouvir do nosso amado Senhor …”… Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor” (Mateus 25:21).

“Senhor meu Deus, obrigada pelas tantas mulheres segundo o Teu coração que colocaste no meu caminho e que servem de exemplo para mim.
Obrigada, porque tenho aprendido que sem fé é impossível agradar-Te.
Aumenta, Pai, a minha fé!
Dá-me força e alegria para Te servir melhor!
Dá-me coragem para poder enfrentar as ciladas do inimigo que se apraz em me ver desanimada!
Que eu possa, Senhor, cantar sempre em meu coração … ‘Que tenho eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti. A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre.’
Amém!”

Obs. Salmo usado na oração: Salmo 73:25.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Deus nos abençoe, à medida que nos esforçamos para melhor obedecê-Lo.

Ana, a mulher que esperou em Deus

Michelle Rocha

Leia I Samuel 1:-8 e Reflita

Ana enfrentava um sofrimento familiar profundo que acomete muitas mulheres. Ela não podia ter filhos. Na época de Ana, ser estéril era sinônimo de vergonha e desgraça. Além disso, Ana ainda tinha que agüentar as provocações de Penina, a outra mulher na casa. Imagine você, sendo dia após dia humilhada uma mulher que tinha filhos, mas que era ressentida porque seu marido, Elcana, favorecia Ana. Ana encontrava-se em um conflito entre o amor de seu marido, o ódio da rival e a própria infertilidade.
Ana servia a Deus, e sabia que era pra ele que era poderia correr. A Bíblia nos fala que ela estava amargurada, e que ela orou e chorou muito diante do Senhor. Ana fez uma promessa ao Senhor, de que entregaria seu filho a ele, para servi-lo, se Deus a respondesse. Quando Deus concedeu-lhe o filho, ela cumpriu o que prometera. É claro que você não pode influenciar Deus com promessas sobre o que vai fazer se ele atender a oração; Deus conhece o seu coração e sabe se você está fazendo apenas uma troca com ele, mas se prometer algo a Deus deve cumprir a promessa. Qualquer outra atitude é tentativa de manipular Deus.
Ana buscou em Deus a resposta para seu problema. Ela perseverou em oração e chorou muito clamando ao Senhor por um filho. Ela não desistiu, mesmo sendo vista como bêbada pela forma como ela orava.
A Bíblia nos fala que depois de ter encontrado o sacerdote, Ana não ficou mais triste. Ela comeu e foi adorar a Deus juntamente com seu marido, e naquela noite Deus atendeu ao pedido de Ana.
Ana é um exemplo para nós, e podemos aprender algumas lições com ela.

1 – Ana buscou em Deus a solução para seu problema: Embora o problema parecesse impossível de ser resolvido, levando em vista que na época de Ana não havia a tecnologia e os tratamentos que temos hoje, Ana servia a Deus e sabia que ele poderia mudar a sua situação. Não vemos Ana reclamando ou murmurando com outras pessoas a respeito da sua infertilidade e muito menos sobre a humilhação que era submetida por Penina. Ao invés disso, ela falou com o Senhor, o único que poderia ouvi-la e fazer algo a respeito.

2 – Ana perseverou em oração: A Bíblia nos fala que Ana perseverou no Senhor, clamando e derramando seu coração diante dele. Ana chorou muito em suas orações, pois estava machucada e amargurada. Mas ela sabia que Deus estava ali com ela e que ele estava recebendo suas lágrimas. Ela não desistiu. Perseverou até o fim.

3 – Ana adorou e alegrou no Senhor, pois confiava em sua palavra: A Bíblia nos diz que a perseverança trás esperança (Rm 5:4) e Deus viu que Ana estava perseverando em oração. Por isso mandou o sacerdote Eli falar com ela. Quando Eli chegou ao templo e viu Ana orando ele pensou que ela estivesse bêbada (I Sm 1:13-14), mas quando Ana lhe disse que estava orando ao Senhor Eli lhe deu uma palavra de esperança enviada pelo Senhor (I Sm 1:17). Ao ouvir isso Ana se levantou não mais amargurada, mas feliz, crendo que Deus iria cumprir sua palavra. Ela, juntamente com seu marido, foi adorar a Deus. Eu imagino que Ana agradeceu muito a Deus, e depois de tantas lágrimas conseguia sorrir diante do altar da adoração.

4 – Ana entregou ao Senhor aquilo que dele recebera: Ana havia feito uma promessa ao Senhor, de que lhe entregaria seu filho para servi-lo, se ele atendesse seu pedido. Ana não estava barganhando com Deus, ela estava disposta a devolver a Deus o presente que ele lhe desse. Ela não queria um filho para dar o troco em Penina por todas as humilhações que passou. Ela não queria um filho para ser melhor do que outras mulheres que também não podiam ter. Ela queria um filho para ser completa, para ter uma família completa, para cumprir uma ordenança do próprio Deus (Gn 9:1). Por isso Deus lhe concedeu um filho. Ele sabia que ela estava disposta a abrir mão dele por seu amor ao Senhor.

Muitas vezes Deus não nos dá o que pedimos porque nossas intenções não agradam o coração dele. Ele sabe que se nos der o que pedimos isso irá nos corromper e nos afastar dele. Deus tem prazer em dar presentes aos seus filhos, mas muitas vezes não os dá porque sabe que não ainda não estamos prontos.
Quando conseguimos entender o que é esperar em Deus e devolver a ele o que é dele, então ele tem prazer em nos dar o que pedimos.

Que sejamos como Ana, mulher que amava e servia ao Senhor e que entendia que ele tinha o melhor para ela no tempo certo.

Sulamita, a mais bela das mulheres

Valdenira Nunes de Menezes Silva

Eu dormia, mas o meu coração velava; e eis a voz do meu amado que está batendo” (Cantares de Salomão 5:2).

O livro “Cantares de Salomão”, conhecido também como “Cântico dos Cânticos” ou “Poema de Amor”, é visto pelo povo judeu como o livro do amor de Deus por Seu povo, Israel.
Cantares de Salomão é um livro onde lindas canções de amor são derramadas diante nós e onde vemos a mão de Deus dando amorosas pinceladas e transformando-o num verdadeiro poema.

Várias interpretações são dadas a ele:

1- O povo judeu vê, claramente, através dele, o amor de Deus por seu povo.
2- Alguns cristãos crêem que ele representa o amor de Cristo pela igreja.
3- Outros cristãos crêem que se pode ver nele o amor de Cristo pela alma de cada pessoa.
4- Alguns comentaristas o interpretam como o amor entre um homem e uma mulher.

E você, minha irmã, quando está lendo Cantares de Salomão, em qual destas posições você se coloca?
Quem sabe, algumas de nós, se coloca como sendo a própria sulamita?

Ah, como é doce e suave quando ouço do meu esposo, do meu amado, daquele que Deus colocou para eu amar por toda a minha vida …
“Que belos são os teus amores, irmã minha! oh esposa minha! quanto melhores são os teus amores do que o vinho! e o aroma dos teus bálsamos do que o de todas as especiarias” (Cantares de Salomão 4:10). Talvez não estas mas muitas outras palavras bonitas ditas por ele são como um refrigério e um bálsamo para a minha alma!

Quando leio a história de Cantares de Salomão, tenho desejo de agir como ela … amar aquele que é o esposo que Deus me deu e de ser amada por ele.
Em Eclesiastes 9:9 a Bíblia nos exorta a amarmos aquele que Deus nos deu, com um amor sem medida. Ele diz: “Goza a vida com a mulher [o marido] que amas, todos os dias da tua vida…”

Na nossa história, esta mulher, a sulamita, era amorosa e talvez a mais bela de todas as mulheres. Ela teve seus momentos de alegria por viver intensamente um amor tão lindo e apaixonado, e seus momentos de tristeza por estar, algumas vezes separada daquele seu tão grande amor.

Assim como vemos, hoje em dia, com muitos casais que se amam, a sulamita e seu amado se tratavam com muito amor e se comparavam com coisas engraçadas mas que, com certeza, eles mesmos ficavam lisonjeados … Vejam este quadro:

O AMADO PARA A SULAMITA A SULAMITA PARA O SEU AMADO

1- “As éguas dos carros de Faraó, te comparo…” (Cantares 1:9). 1- “O meu amado é para mim um ramalhete de mirra” (Cantares 1:13).
2- “… os teus olhos são como os das pombas” (Cantares 1:15). 2- “Como um cacho de chipre nas vinhas de En-Gedi é para mim o meu amado” (Cantares 1:14).
3- “Pomba minha…” (Cantares 2:14). 3- “Qual a macieira … tal é o meu amado” (Cantares 2:3).
4- “… não desperteis meu amor …” (Cantares 3:5). 4- “O meu amado é semelhante ao gamo …” (Cantares 2:9).
5- “Quem é esta … perfumada de mirra …” (Cantares 3:6). 5- “O meu amado é cândido … (Cantares 5:10).
6- “Eis que és formosa amiga minha …” (Cantares 4:1). 6- “As suas faces são como canteiro de bálsamo …” (Cantares 5:13).
7- “… o teu cabelo é como o rebanho de cabras” (Cantares 4:1). 7- “Tal é o meu amado, e tal o meu amigo …” (Cantares 5:16)

E você, minha irmã, como chama o seu amado?
Você é como aquele rio cujas águas correm amorosamente para o seu amado? Ou você é aquele rio seco, cheio de pedregulhos e sem nada para oferecer?
A sulamita era uma mulher apaixonada. Será que eu ou você somos também apaixonadas, amorosas e meigas para nosso marido? Se não somos assim, então temos que pedir ao nosso Pai do céu que nos transforme em mulheres cujas características sejam semelhantes às dela – amorosa, apaixonada e meiga.

A sulamita eram uma mulher que ansiava pelos beijos do marido, vagueava pelas ruas da cidade procurando o seu amado. Observando esta sua maneira de ser, de agir, podemos ver nela um amor romântico, um amor que quer agradar àquele a quem ela tanto ama. Podemos perceber que não é apenas um amor físico mas é muito mais do que isto … é um amor verdadeiro, um compromisso para toda uma eternidade … é um amor que não vê o passar do tempo, as transformações físicas mas se transforma em um amor amadurecido, mais forte e mais profundo. Podemos chamar este amor de amor duradouro, eterno e diferente da paixão que é passageira e parecida com um vapor que se esvai.

Ah amada irmã, este é o amor que quero ter por meu marido e, oro ao Senhor, que o mesmo amor ele possa ter por mim.

Na Bíblia, vemos homens e mulheres que se amaram com este mesmo tipo de amor – sincero, apaixonado e eterno. Dentre tantas histórias de casais que se amaram podemos citar a história de…

1- Isaque e Rebeca – eles se amaram apesar de ter sido o servo de Abraão quem a escolheu para ele. Vemos que o Senhor agiu abençoando a vida dos dois.
2- Jacó e Raquel – eles se amaram apesar do pai dela, Labão, ter enganado Jacó. Além dos sete anos que ele havia trabalhado para poder se casar com a sua amada, teve que trabalhar mais sete, e isso porque a amava muito.
3- Elcana e Ana – eles se amaram mas tiveram que esperar muitos anos para poderem ter o primeiro filho e o dedicarem ao Senhor. Depois deste primeiro filho, que foi o profeta Samuel, eles ainda foram abençoados com muitos outros. Porque se amavam esperaram o tempo escolhido por Deus para receberem tamanha dádiva.

Vejam o que nos diz a irmã Ann Spangler em seu livro “Elas”: “Se você foi tão afortunada em seu casamento a ponto de experimentar um amor que tenha pelo menos a metade da paixão descrita neste livro da Bíblia, leia-o à luz de sua história agradecendo a Deus pela bênção recebida. Mas, em caso negativo, fique satisfeita por saber que o amor do casal e sua expressão sexual são idéia de Deus.”

Talvez, amada irmã, você não tenha o amor do seu marido do jeito que você gostaria. Talvez o seu marido nem viva mais com você. Mas, apesar de tudo isto, podemos ter certeza de que existe um amor que nunca se acaba, que é sincero e que deseja o melhor para nós. Veja que amor seguro …
“Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor” (Rom 8:38-39).

“Obrigada, Pai, porque Tu és um Pai que consolas. Tu és um Pai que nos ama e cuida de nós. Mesmo que ninguém neste mundo nos ame, Tu nos amas e nada poderá nos separar do Teu amor que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. Amém!

Deus te abençoe!!