O poder das palavras

O PODER DAS PALAVRAS

“Visto que amou a maldição, ela lhe sobrevenha, e assim como não desejou a bênção, ela se afaste dele.
Assim como se vestiu de maldição, como sua roupa, assim penetre ela nas suas entranhas, como água, e em seus ossos como azeite.
Seja para ele como a roupa que o cobre, e como cinto que o cinja sempre.
Seja este o galardão dos meus contrários, da parte do SENHOR, e dos que falam mal contra a minha alma.”
Salmos 109:17-20

“Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo.
Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo.
Ora, nós pomos freio nas bocas dos cavalos, para que nos obedeçam; e conseguimos dirigir todo o seu corpo.
Vede também as naus que, sendo tão grandes, e levadas de impetuosos ventos, se viram com um bem pequeno leme para onde quer a vontade daquele que as governa.
Assim também a língua é um pequeno membro, e gloria-se de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia.
A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.
Porque toda a natureza, tanto de bestas feras como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se amansa e foi domada pela natureza humana;
Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal.
Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus.
De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim.
Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa?
Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce.”
Tiago 3:1-12

Houve uma mudança na minha vida quando resolvi mudar as minhas palavras. O meu ministério mudou quando percebei que, muitas vezes, minha boca era uma fonte de maldições.

Maldição é falar mal do que é bom. Precisamos tomar cuidado com o que falamos, se Deus disse que o casamento é uma bênção, eu não posso dizer que é uma desgraça. Isso seria contradizer a Palavra de Deus.

Alguns têm muitos medos e complexos no presente, por causa de palavras malditas no passado.

Quando garoto, meus pais se separaram, por essa razão, repeti de ano, me chamaram de burro na escola. Até que uma professora, a dona Riza me ajudou e disse que eu seria sim, alguém na vida. Aquela palavra me levantou, me deu motivação. No meio de 150 alunos, tornei-me o melhor e fui homenageado diante de todos.

Ao pesquisar sobre bênção e maldição durante todos esses anos, constatei que apenas 5% das pessoas reage ao contrário ao ouvir uma palavra negativa, 95% a absorve negativamente.

A bênção ocorre no mundo espiritual. A Palavra de Deus é bem superior às palavras dos homens. Ele abençoa!

É mais fácil falar mal, e quem não controla a própria língua, atrai maldição para si!

A palavra tem poder de abater e de levantar. Ela pode ser usada negativamente ou positivamente, é você que decide como usá-la.

Abençoe a sua família e tudo aquilo que você possui. Abençoe, não amaldiçoe!

Pastor Jorge Linhares

Deixe seu comentário