Relacionamentos Inadequados

NOSSAS AMIZADES: o livro de “Provérbios” foi escrito por Salomão e seu título significa “comparações”. Nele encontramos a diferença da vida e das escolhas dos sábios e dos tolos, dos justos e dos injustos, dos santos e dos impuros. Os dois caminhos estão à nossa frente, e a Bíblia, de maneira muito clara, nos adverte sobre onde iremos parar ao final de cada um deles. Devemos amar indistintamente todas as pessoas, mas devemos escolher com quem iremos andar. Quem serão os nossos amigos de fato.

Encontramos, nas Sagradas Escrituras, que o temor do Senhor e o bom ensino dos pais nos ajudam, dando sabedoria nas escolhas da vida (Pv 1.7-9). Esse texto nos fala sobre a escolha das amizades. Os apelos do mundo estão gritando por todos os lados, mas a escolha é nossa. O primeiro passo está na atração mundana (querem seduzir-te), em seguida nos convites (vem conosco…), e, finalmente, no arquitetar os projetos malignos (embosquemo-nos… lança a tua sorte entre nós…). A sábia Palavra de Deus nos orienta: […] “Não te ponhas a caminho com eles; guarda das suas veredas os teus pés” (v.15). Existem ciladas malignas atrás de amizades mundanas (v.17-19).

Não é por acaso que o primeiro Salmo da Bíblia e o primeiro capítulo de Provérbios nos alertam sobre as amizades. “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes o seu prazer está na Lei do Senhor, e na sua Lei medita de dia e de noite” (Sl 1.1-2). Davi escreveu este Salmo e nos mostra que, quem busca o Senhor é bem sucedido e feliz, ao contrário do que vive entre más companhias, que, sem segurança, irá perecer no juízo (Sl 1.3-6).

Infelizmente, há homens casados que, ao andarem com colegas de trabalho solteiros, começam a deixar as responsabilidades do casamento e desgastam seu relacionamento conjugal. Da mesma forma mulheres casadas, que, longe do convívio do lar, na faculdade ou no serviço, também se esquecem de seu compromisso com o marido e do cuidado com os filhos. Tanto os solteiros como os casados devem tomar muito cuidado nas escolhas das amizades, das pessoas que freqüentam a sua casa. Às vezes, até mesmo tentando ajudar alguém, corremos o risco de prejudicar o nosso lar ou a nossa comunhão com Deus. Os jovens e adolescentes precisam estar muito atentos quanto às suas amizades. Tanto podem crescer espiritualmente, com bons amigos, como podem até mesmo se desviar do caminho da verdade, devido às más companhias. Não há dúvida de que o nosso melhor amigo é Jesus. Que tal deixá-lo ajudar-nos na escolha de nossas amizades?

RELACIONAMENTOS INADEQUADOS: temos visto tantos casamentos desmoronarem no abismo da fornicação e da imoralidade por causa de relacionamentos inadequados. Pessoas divorciadas, os que estão com casamentos em crise, ou jovens adultos que estão cansados de esperar por sua “alma gêmea”, às vezes caem nas ciladas da fornicação e do adultério. Se há um descuido na vida de comunhão com o Senhor: pouca oração, coração impaciente por fraqueza espiritual (sem o alimento diário da Palavra) ou se o foco da vida não está no Senhor, mas no próprio “Eu” com suas paixões, então o perigo de cair no pecado da imoralidade é muito grande. No mundo de hoje “tudo é permitido, o importante é ser feliz” – mas essa filosofia de vida não mostra os resultados desastrosos dos relacionamentos inadequados: gravidez indesejada, destruição do casamento, doenças fatais, feridas na alma, traumas emocionais dificílimos, vergonha e morte.

Estes conceitos falsos de felicidade pelo prazer já são bastante antigos. Em Provérbios encontramos palavras de alerta sobre o adultério: “Filho meu, atende à minha sabedoria, […] porque os lábios da mulher adúltera destilam favos de mel, e as suas palavras são mais suaves que o azeite; mas o fim dela é amargoso como o absinto, agudo como a espada de 2 gumes. Os seus pés descem à morte, os seus passos conduzem-na ao inferno. […] Afasta o teu caminho da mulher adúltera e não te aproximes da porta da sua casa.” (Pv 5.1,3-4,8.) Estes conselhos servem para todo o tipo de atração sexual pecaminosa, onde há somente morte e destruição. É impossível colher frutos de alegria e paz do espinheiro do pecado da imoralidade. As conseqüências são irreversíveis: “Tomará alguém fogo ao seio, sem que as suas vestes incendeiem? Ou andará alguém sobre brasas, sem que se queimem os seus pés? Assim será ao que se chegar à mulher do seu próximo…” (Pv 6.26-29.)

PONDO EM ORDEM OS RELACIONAMENTOS: Quando Abraão encarregou seu servo Eliezer de buscar uma noiva para seu filho Isaque, ele ordenou que este não lhe trouxesse moça de Canaã, mas da casa de seu pai, em Harã (Gn 24.3). As nações de Canaã estavam condenadas por causa de sua cultura pagã imoral e pervertida. A futura esposa de Isaque deveria conhecer e amar o Deus verdadeiro e santo, o Deus de Abraão. E Eliezer ora, pedindo a ajuda e direção para tão importante tarefa (Gn 24.12-14).

Sabemos que o jugo desigual é um sério problema no casamento. Muitas lágrimas são derramadas por conflitos provocados pela falta de entendimento espiritual. Siga a instrução bíblica, querido irmão, não entre em jugo desigual com os incrédulos. Isto é válido para o casamento e sociedades. Muitos problemas e sofrimentos serão evitados na escolha orientada por Deus. Rompa, enquanto é tempo, com laços de jugo desigual que poderão prendê-lo.

CONCLUSÃO: Evitamos muito sofrimento ao orarmos ao Senhor sobre nossos relacionamentos:“Pois livraste da morte a minha alma, das lágrimas os meus olhos, da queda os meus pés. Andarei na presença do Senhor, na terra dos viventes.” (Sl 116.8-9.) Os pais precisam ser amigos de seus filhos (Cl 3.21; PV 4.1-6). Os cônjuges precisam ser os melhores amigos e buscarem, juntos, agradar um ao outro (1Co 7.32-34). Os jovens precisam buscar a santidade na conduta, nas palavras, no procedimento e na escolha das amizades (Tt 2.6-8; 2Tm 4.9-15).

RESPONDA SINCERAMENTE: Você está envolvido em algum relacionamento inadequado? Você tem percebido que, embora dizendo “somos só amigos”, há algo mais, que já é pecado e não deveria haver, entre você e alguma pessoa? Você está se preparando para um casamento em jugo desigual? Você tem sido amigo de seus filhos e de seu cônjuge? Você tem permitido amizades que estão prejudicando sua família e seu relacionamento conjugal? Arrependa-se, acerte seus relacionamentos, e escolha hoje a vontade do Senhor para sua vida.

Pra. Ângela Valadão

Rir é tudo de bom

“Alegrem-se no Senhor e exultem, vocês que são justos! Contem de alegria, todos vocês que são retos de coração!” (Salmos 32.11)

Há muitas coisas extremamente sérias acontecendo no mundo, e precisamos estar cientes e preparadas para elas. Ao mesmo tempo, porém, precisamos aprender a relaxar e aceitar as coisas conforme elas se apresentam, sem sermos afetados por elas e ficarmos nervosos e zangados. Precisamos aprender a desfrutar da boa vida que Deus nos deu através da morte e ressurreição de Seu Filho Jesus Cristo (veja João 10.10). Apesar de todas as coisas perturbadoras no mundo ao nosso redor, nossa confissão diária deveria ser. “Este é o dia que o Senhor nos deu. Eu me regozijarei e me alegrarei nele”.

Algo que nós, cristãos, precisamos fazer mais em nossas vidas é rir. Temos a tendência de sermos tão pesados com relação a tudo: nosso pecado, esperar perfeição de nós mesmos, nosso crescimento em Deus, nossa vida de oração, os dons do Espírito e a memorização de versículos bíblicos. Andamos por aí carregando tantos fardos pesados! Se apenas ríssemos um pouco mais – tenham bom ânimo, “alegrai-vos” – veríamos que um pouco de riso torna bem mais leve aquele fardo.

No mundo em que vivemos não se encontra muita razão para sorrir, então teremos que fazer uma força e rir de propósito. É fácil encontrar coisas com que nos preocuparmos, mas para ser feliz precisamos fazer um pouco de esforço nessa direção. Precisamos sorrir e desfrutar de um bom momento!

Joyce Meyer

Casamento e dinheiro, como ter uma boa relação?

Entenda como tornar o dinheiro um aliado do casamento e não vilão

O dinheiro tem sido o vilão de muitos casamentos, sejam eles recentes ou de longa data. A maioria dos conflitos tem entrado nos relacionamentos pela diferença como os cônjuges encaram o dinheiro. E quando essa diferença não é ajustada, então “a coisa fica preta”, ou melhor, “no vermelho”. O pastor Célio Fernando, líder do Ministério de Finanças Crown, alerta: “Pesquisas com cônjuges e líderes de casais apontam ser o dinheiro o principal causador de conflitos conjugais. Por isso, os casais que estão se preparando para o casamento e aqueles que já são casados devem estar atentos às questões financeiras.”

A má administração ou a falta dela é um dos principais pontos destacados pelo pastor Célio. Marido e mulher precisam andar juntos, como a Palavra fala, na administração dos recursos. Um pode ser melhor que o outro nesse quesito, por isso, a mulher dá suporte ao marido para administrar melhor e vice-versa. Caso contrário, a balança pesará mais cedo ou mais tarde. “E quando nenhum dos cônjuges administra as finanças, falta controle e sobram acusações. Sem administração, o surgimento de problemas financeiros é apenas uma questão de tempo, não importa a renda familiar”, completa Célio.

O casal Maria Alice e Fernando Horta já enfrentou conflitos por causa do dinheiro, mas superaram com um bom diálogo, oração e decisões. Fernando é mais estrategista e Alice é consultada em todas as decisões. “Já enfrentamos alguns conflitos e juntos, em oração, conseguimos chegar a um acordo! Procuramos manter o controle de todos os gastos e acompanhar a evolução de cada grupo de contas, para que o orçamento não saia do nosso controle. No dia a dia, Fernando fica com as contas fixas para pagamentos e Alice controla a parte variável”, conta o casal.

Ser menos sentimento/emoção e encarar essa relação dinheiro/casamento com mais praticidade é outro ponto importante. Talvez o marido não seja tão bom na administração, mas a mulher sim. Deixar o machismo e preconceito de lado é o primeiro passo para começarem a viver tempos melhores. “O casal deve ter a consciência da importância de lidar mais facilmente com o dinheiro e deve investir nisso. É extremamente importante descobrir aquele quem tem mais aptidão. Feito isso, um assumirá a responsabilidade e o outro dará apoio e suporte, acompanhando as contas regularmente”, acrescenta o pastor.

É melhor ter conta conjunta ou separada? Essa é uma pergunta comum entre os casais que vão se casar e muitos casais casados. O pastor Célio orienta a todos os casais que participam do Crown a administrarem ambos os salários em uma conta, assim como a Bíblia fala: “uma só carne”. “O ideal é a conta conjunta, mas uma exceção é quando um dos dois não tem domínio próprio, e pode acabar levando o casal a entrar numa fria. Mas quando não há esse problema, não deve existir o que é ‘dele’ e o que é ‘meu’. Tudo é dos dois, para os dois’”, afirma Célio.

Conta conjunta tem sido a opção do casal Eunice e Calisto Rodrigues para a administração do lar. “Temos conta conjunta em dois bancos, e também separada para recebermos a aposentadoria, pois é uma exigência do INSS. Enfrentamos desafios, principalmente, quando construímos nossa casa, mas conflitos e brigas nunca tivemos”, conta o casal.

Então é assim: se você ganha um mil e seu cônjuge dois mil, vocês têm três mil para administrarem. Mas se você não encara assim, então vocês têm um subtraído pelo outro, e a balança torna a pesar demais para um lado. “O plano de Deus para o casamento é a unidade dos cônjuges, assim, o dinheiro tem que servir a esse propósito. Não deve haver competição entre o casal e o dinheiro deve ser encarado como um bem da família e não como propriedade dos indivíduos separadamente”, explica o pastor Célio Fernando.

Quando o casal entende isso, sair do vermelho é consequência do ajuste, que influencia não somente a nova vida do casal, mas dos filhos. Eles vão aprender a ser bons administradores com os pais e serão bem-sucedidos nessa relação dinheiro/casamento. O dinheiro deve ser um aliado do casamento, principalmente na realização de sonhos, mas para isso é necessário agir com sabedoria e inteligência, que Deus concede a nós. Potencialize essa harmonia que existe na relação dinheiro/casamento, “sejam transparentes; dividam responsabilidades; prestem contas um ao outro; não omitam nada; sejam criativos para economizar. Por fim, sejam solidários em vez de cobrar um do outro”, conclui Célio.

Seis dicas da Palavra de Deus para obter sucesso financeiro no casamento:

1- Provérbios 22.7 – Não façam dívidas;

2- Provérbios 12.15 – Peçam conselho para tomar uma decisão financeira importante;

3- Mateus 6.24 – Escolham a quem vocês servirão;

4- Deuteronômio 10.14 – Reconheçam que vocês são mordomos e todas as coisas pertencem ao Senhor;

5- Mateus 6.33 – Busquem o Reino de Deus e sua justiça e creiam na Sua provisão.

6- Filipenses 4.5 – “Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor.”

 

 

:: Stephanie Zanadrais

O poder da mãe que ora pelo filho!

O poder da mãe que ora pelo filho!
Pode haver um presente melhor para uma mãe do que a salvação de seus filhos? No seu dia, querida mamãe, um chamado à oração e os nossos votos para que seja sempre uma mãe segundo o coração de DeusSer mãe é ser líder, pois ninguém influencia mais do que uma mãe.

A mãe carrega no coração, no ventre, nos braços, nos sonhos, nas orações… Nenhuma outra força na vida da criança é tão poderosa e influente como a mãe.

Muitos homens famosos foram influenciados por suas mães. A mãe de George Washington era uma mulher cristã piedosa, com profundo senso único. Seu filho foi o primeiro e um dos melhores presidentes dos EUA.
Por outro lado a mãe de Nero, era gananciosa, sensual e assassina, acabou sendo morta pelo próprio filho. Sem dúvida alguma a mãe pode influenciar seu filho tanto para o bem quanto para o mal.
Deus está procurando mães que encontrem tempo para orar pelos filhos. A pressa é um distintivo da nossa geração, não temos tempo, corremos o dia todo, vivemos sob o peso do estresse. Os pais não têm tempo para os filhos, a família deixou de ser prioridade, e por isso precisamos nos levantar em favor de nossos filhos e de nossa família.
Precisamos de mães que passem tempo orando, que falem de Deus para seus filhos e dos filhos para Deus.
Precisamos de mães que derramem o coração diante de Deus em fervente oração. Mães que passam mais tempo no altar da intercessão. Se você tem tempo de ir ao salão, ao shopping, à academia, você também tem tempo para orar.
A maior influência que uma mãe pode exercer na vida dos filhos é por meio da oração. Temos que priorizar, organizar nossa vida a favor disso.
Veja exemplos de algumas mães de oração. Suzana Wesley tinha 19 filhos e nunca abriu mão de orar uma hora por eles. Esse tempo era sagrado e seus filhos não ousavam interrompê-la, porque sabiam que ela estava no quarto derramando sua alma diante de Deus em favor de cada um deles.
Essa mulher piedosa levou ao mundo um dos maiores avivalistas do século XVIII, John Wesley, e um dos mais consagrados músicos evangélicos, Carlos Wesley.
Precisamos de mães que mesmo na agitação desse mundo tenham tempo para buscar a Deus em favor dos seus filhos.
Começar é fácil, difícil é perseverar. Muitos falam e pregam sobre oração, mas poucos oram de verdade. Talvez você já tenha sido uma firme mulher de oração, que jejuava, intercedia, reparadora de brecha e hoje se encontra fraca.
Outra mãe intercessora foi Mônica, que orou cerca de 40 anos pela conversão de seu filho Agostinho. Ele era um jovem devasso e completamente resistente ao evangelho, mas ela jamais desistiu de esperar por um milagre de Deus na vida de seu filho. Noite e dia ela clamava a Deus pela conversão de Agostinho, foram 40 anos de luta, choro de oração, mas um filho de muitas lágrimas não poderia se perder. Agostinho foi o maior expoente da Igreja entre o período dos apóstolos e reformadores. Maior teólogo que a Igreja já produziu depois do apóstolo Paulo e foi fonte de inspiração para Lutero e Calvino.
Na família de Tim Cimbala, pastor em Nova York, sua filha primogênita estava se tornando resistente ao evangelho e começou a viver uma vida de rebeldia, mundanismo e pecado. Não demorou muito até se rebelar contra os pais e sair de casa. Seus pais choraram, sofreram e começaram a definhar a ponto de os amigos lhes dizerem para desistirem de procurá-la. Contudo, numa celebração de vigília, uma irmã interrompeu e disse que deveriam chamar por sua filha e todos deram as mãos e oraram. Ali se tornou uma “sala de parto” onde as dores e os gemidos eram expressos diante de Deus. Quando o pastor voltou para a casa ele disse à sua esposa: “Se há Deus no céu, nossa filha já foi liberta hoje”. E ela voltou para casa liberta e sarada.
Não desista de orar, chorar, gemer, por seus filhos, Deus está à procura dessas mães.
Mães da Bíblia: Identifique-se com elas!
Rispa (2 Samuel 21.8-22): uma mãe incansável. Mulher forte e de caráter firme. Seu nome significa “Pedra Quente”. Ela foi mulher do Rei Saul e teve dois filhos com ele, Simoni e Mefibosete. Houve três anos de fome em Israel e Davi foi consultar ao Senhor e veio a resposta: “Há culpa de sangue sobre Saul e sua casa, porque ele matou os Gebeonitas”. Davi teve de escolher sete homens da família de Saul para serem enforcados para que a chuva pudesse cair novamente sobre a terra de Israel, cinco netos de Saul e seus dois filhos com Rispa. Seus corpos foram esquecidos, foram deixados ao madeiro, ao relento. Então, Rispa tomou um pano de saco e o estendeu para si sobre uma pinha, e assistiu o milagre da chuva e ficou em frente aos cadáveres dos filhos dia e noite. E ela não deixou as aves do céu pousar sobre eles de dia e nem os animais do campo à noite. Você pode imaginar a dor dessa mãe diante desses corpos em decomposição dia e noite? O que passava em seu coração? Suas lágrimas e o desejo de vê-los com um sepultamento digno pelo menos. Ela não saiu da sua torre de vigia durante meses. Isso foi dito a Davi e ele tomou os ossos de Saul e os ossos de Jônatas e também os ossos dos sete que foram enforcados e os enterrou na terra de Benjamim. Depois disso Deus se tornou favorável para terra. E foi Rispa, que fez a mãe do rei Davi trazer a bênção novamente sobre Israel.
Joquebede (Êxodo 2.1-2.): Mãe de Moisés, mulher corajosa, serve de modelo para as mulheres de hoje em dia com sua contagiante coragem para temer a Deus e com a fé firme nas promessas e na providência divina.
Débora (Juízes 4.5.): Uma líder de Israel, juíza e profetiza. Ela ouvia a Deus e possuía o coração de serva. Ela delegou tarefas e ofereceu louvores. Liderou com autoridade recebida de Deus. Ela motivou o povo. Foi uma mãe que se despertou para a nação de Israel e inspirou outros ao seu redor a terem a mesma confiança e venceu a batalha.
E você? Qual tipo de mãe tem sido? Você tem tido tempo para orar pelos filhos? Você tem derramado seu coração diante de Deus em fervente oração por seu filho? Você tem falado de seu filho para Deus? Você tem beijado, abraçado e acariciado seu filho? Ou você já desistiu de orar por ele? Você, mãe, tem um presente de Deus em suas mãos e com esse presente você pode influenciar toda uma geração, para a glória do Senhor! Junte-se a nós, existe um exército de mães que não abrem mão da salvação, libertação e da cura de seus filhos. Somos mais de 70 mil mães de oração. Venha se alistar nesse poderoso exército mais que vencedor em Cristo Jesus. “Mães de joelhos, filhos de pé”.
Já orou por seu filho hoje?
:: Por Pra. Patrícia Sabino
Ligue para o Ministério Desperta Débora (31) 8793-2906 e converse com a pastora Patrícia.
Um testemunho de fé e de oração:
“Faço parte do Ministério Desperta Débora e há cerca de seis anos Deus tem feito milagres na minha vida, dos meus filhos e netos. O milagre que quero compartilhar com toda a Igreja, começa assim… Há aproximadamente oito meses, meu filho Marcus comprou uma moto para trabalhar e intensifiquei minhas orações sabendo do perigo no trânsito. No dia 29 de março por volta de 23h, meu filho voltou para casa de moto, em uma rua de mão única, desceu um carro na contra-mão e o atingiu. A moto parou debaixo do veículo, mas meu filho pulou e escorregou para fora da pista. Ele estava com todo o equipamento de segurança, e principalmente, com a armadura de Deus. Há poder na oração de uma mãe que intercede pelo filho, o milagre aconteceu. Meu filho não se machucou, foi um livramento do Senhor. A moto deu perda total, mas o seguro cobriu tudo. Depois de um mês, ele buscou a moto nova e pôde ver que realmente tem uma mãe de oração. Agradeço a Deus por esse ministério e agradeço a equipe que faço parte”. – Maria Helena Dias

A Oração

Orai sem cessar.” (1 Tessalonicenses 5.17)

Pensando sobre esse versículo bíblico, percebo quão ilimitados são os ensinamentos da Palavra do Senhor.

Orar sem cessar pode significar tantas interpretações aos nossos corações! Por exemplo, pode demonstrar a necessidade de se viver uma vida de oração, de busca pela presença do Senhor em todo o tempo, o tempo todo. Do mesmo modo, podemos pensar que essa instrução do apóstolo significa que devemos orar com insistência sobre algo de que necessitamos, batendo de forma contínua sobre a porta celestial. Além disso, esse orar de forma constante, nos faz pensar também sobre o conforto que recebemos quando estamos diante da doce e maravilhosa presença divina, que por ela só, é capaz de preencher o vazio em nossos corações.

Sendo assim, diante de tantos benefícios que nos traz a oração, então me pergunto: Por que encontramos tantas desculpas para não praticá-la? Tantas desculpas que só me fazem pensar em como entristecemos o coração do Pai!

Muitos que já são pais podem compreender melhor essa situação. Imagine o seu filho trocando o diálogo com você pelo do amigo? Difícil não é? Pois então, imagine o coração de Deus quando da mesma forma agimos com Ele? Com certeza, não há amigo mais chegado do que o Senhor, aleluia!

Quando o Senhor Jesus viveu sobre a Terra, Ele também tinha amigos, lembram-se? Maria, Lázaro e Marta, os doze apóstolos, Zaqueu, as mulheres que o serviam com os seus bens e muitos e muitos discípulos, porém com qual deles se retirava para estar a sós e passar até mesmo a noite inteira conversando, buscando conselhos, orando? Era com o Pai.

Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.” (Isaías 55.6)

Recentemente, assisti a um vídeo onde irmãos de um determinado país onde a divulgação do evangelho é proibida, receberam exemplares da Palavra de Deus e é tocante assistir a emoção desses irmãos ao poderem segurar pela primeira vez em suas mãos a Bíblia Sagrada! Eles choravam, louvavam ao Senhor, abraçavam e beijavam a palavra santa do Pai! E sabem por quê? Porque não a podem ter em suas mãos com a mesma facilidade com que ainda hoje em nosso país a podemos ter.

Somente aprendemos a valorizar algo, quando o perdemos. E como é difícil essa lição!

Então, por que perdemos tempo em não buscar ao Senhor? Ele sabe todas as coisas, sabe por que nos alerta sobre isso e por nos amar, é que nos clama para estar em todo o tempo em Sua companhia por meio da oração.

Fico a imaginar os patriarcas em sua comunhão, a igreja primitiva e muitos outros irmãos que viveram uma vida de intimidade com o Senhor. É certo que muitos amados em nossos dias também sabem o que é estar constantemente na presença do Pai e é por meio de suas dedicadas vidas que muitas vezes somos abençoados como nação e como irmãos. Glórias a Deus por eles! Mas o que nos impede de vivermos o mesmo, de somarmos ao grupo um número maior de intercessores, de abençoadores? Você e eu sabemos a resposta.

Que o Senhor nos faça lembrar sempre do seguinte versículo: “A intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais Ele dará a conhecer a Sua aliança.” (Salmo 25.14)

Intimidade com o Senhor, isso significa vida de oração e que nós possamos ansiar por ela, assim como os guardas anseiam pelo romper da manhã (Sl 130.6).

Deus os abençoe!

 

 :: Ana Lúcia Lemos – Colaboradora do Portal Lagoinha.com

Mulheres da Bíblia

Bispa Ingrid

 

Muitas mulheres nobres, importantes e sábias são mencionadas na Bíblia. Lemos a respeito da sabedoria e virtude de Abigail, em contraste com a atitude desprezível e ignóbil de seu marido, Nabal (1 Samuel 25:2–42). Davi a elogiou dizendo: “Bendito o Senhor, Deus de Israel, que, hoje, te enviou ao meu encontro. Bendita seja a tua prudência, e bendita sejas tu mesma, que hoje me tolheste de derramar sangue e de que por minha própria mão me vingasse” (vv. 32, 33).

 

As Escrituras também descrevem a pureza inocente de Tamar e a lascívia egoísta de seu irmão, Amom (2 Samuel 13:1–19). Como o contraste entre uma mulher boa e inteligente e um homem tolo e ímpio poderia ser melhor exposto? Quando Joabe precisou que alguém apelasse para o rei Davi em favor de Absalão, ele não escolheu um homem, mas uma mulher sábia de Tecoa (2 Samuel 14:1–20). Da mesma forma, Bate-Seba foi enviada até Natã para falar em favor de Salomão (1 Reis 1:11–13).

 

A influência das mulheres da Bíblia teve resultados bons e maus. Jeoseba mostrou-se corajosa escondendo o menino Joás, da linhagem real, da perversa Atalia, a qual tentou tirar a vida de todos os possíveis herdeiros que ameaçassem o seu governo no trono. Ela escondeu o pequeno Joás e a sua ama num dormitório até ele crescer o suficiente para reinar em Judá (2 Reis 11:1–3). Deus usou a rainha Ester, uma mulher de beleza e força, para livrar Israel da extinção tramada pelo perverso Hamã (Ester 4—8). A derrota de Sansão deu-se por conta de uma mulher (Juízes 14—16).

 

Salomão também foi afetado  desfavoravelmente por mulheres (1 Reis 11:1–4). Davi foi tentado pelo formoso corpo de Bate-Seba à lascívia, a cometer adultério e assassinato (2 Samuel 11:2–27). Jezabel ajudou a efetuar a ruína de Acabe (1 Reis 21:1–26). Uma mulher cujo nome é desconhecido salvou as vidas dos espias que Davi mandou a Jerusalém (2 Samuel 17:17–21). Outra mulher sábia e cujo nome não é mencionado impediu que Joabe destruísse uma cidade, ao persuadir seus habitantes a cortarem a cabeça de Seba,  atirando-a para Joabe, do lado de fora dos muros da cidade (2 Samuel 20:16–22). Assim, ela ajudou a pôr fim a uma rebelião contra Davi.

 

Muitas mulheres foram grandes servas de Deus servindo outras pessoas. Uma mulher alimentou Elias (1 Reis 17:9–15). Um mulher eminente providenciou comida e um quarto para Eliseu (2 Reis 4:8–10). Utilizando recursos próprios, várias mulheres supriram as necessidades de Jesus e dos apóstolos (Lucas 8:1–3; Mateus 27:55; Marcos 15:41); entre elas estavam Marta e Maria (Lucas 10:38–42; João 12:2). Uma samaritana cujo nome não é mencionado recebeu a grande lição sobre a verdadeira adoração no poço de Jacó, e levou uma cidade inteira a ouvir Jesus (João 4:21–42).

 

Uma mulher ungiu Jesus antes de Sua morte (Mateus 26:7–13). Durante a crucificação de Jesus (João 19:25; Lucas 23:49), várias mulheres — incluindo Sua mãe — ficaram corajosamente com Ele, enquanto Seus seguidores homens O abandonaram. Até mesmo os apóstolos escolhidos fugiram com medo de perder a vida quando a escolta armada prendeu Jesus (Mateus 26:56).

 

Mulheres nobres e cheias de virtude e dedicação, como as que acabamos de mencionar, são descritas em Provérbios 31:10–31. Mulheres com esse caráter destacaram-se como grandes servas de Deus. A grandeza delas estava no serviço prestado, e não no senhorio. Por causa do serviço que prestaram elas sobrepujaram a maioria das autoridades, dos reis, governadores e príncipes. Devem ser contadas entre os grandes (Mateus 20:25–28), na mesma categoria que João Batista (Mateus 11:11) e, em certa dimensão, à semelhança de Jesus (Mateus 20:28). Se mulheres e homens compreenderem o sentido do ensinamento de Jesus, reconhecerão que servir está, na verdade, um degrau acima, e não abaixo, de ser servido. O alvo de todos deve ser viver como um servo útil.

 

Ainda que, aos olhos de alguns, as mulheres da Bíblia não pareçam tão grandes quanto as autoridades e líderes descritos na Bíblia, a grandeza delas pode ser vista nos resultados de suas boas obras. Que a providência do Senhor nos abençoe com muitas outras grandes mulheres. Maria, mãe de Jesus, é exemplo de uma grande mulher. Ela se dispôs a dar de si mesma para servir humildemente a Deus. Quando o anjo anunciou que o corpo dela seria o instrumento pelo qual Cristo viria ao mundo, ela respondeu modestamente: “Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra” (Lucas 1:38). Durante a infância, Jesus obedeceu a essa mulher, Sua mãe: Ele estava sujeito à Maria e José. “E desceu com eles para Nazaré; e era-lhes submisso…” (Lucas 2:51). Ele não foi submisso a eles porque Suas percepções, habilidades e outros talentos eram inferiores aos deles. Jesus foi submisso a eles por causa da posição de autoridade que eles exerciam sobre Ele como Seus pais. Submissão não significa inferioridade.

 

Cerca de dezoito anos depois, Jesus assumiu Sua posição de autoridade e o papel de liderança com a aprovação de Sua mãe. Numa festa de casamento em Caná, Maria informou Jesus de que não tinham mais vinho. Ele respondeu: “Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora” (João 2:4). Então ela depositou a solução do problema nas mãos de Jesus, dizendo aos serventes da festa: “Fazei tudo o que ele vos disser” (João 2:5).

 

A partir daí, Jesus manteve Sua posição de autoridade no relacionamento com a mãe. Quando analisamos Maria como uma grande serva do Senhor, não podemos perder de vista o fato de que embora nosso Salvador tenha entrado no mundo através do corpo dela, o corpo de uma mulher (Gálatas 4:4), Ele assumiu a forma de um corpo de homem. Deus não é homem, mas Ele escolheu o corpo de um homem, o corpo de Jesus, para revelar-Se aos povos da terra (João 1:18) e providenciar o sacrifício pelos pecados do mundo (Hebreus 10:5, 10).

Hulda, a profetisa que mudou uma nação

Leilane Gabriela

 

Afinal, quem foi Hulda? Existe esse nome na Bíblia mesmo?

Sim, Hulda existe na Bíblia e existiu fisicamente! Seu nome significa “duração da vida”. Ela foi profetisa no tempo do rei Josias, por volta de 621 a.C.

Recomendo que seja feita a leitura de II Reis 22. Hulda aparece no verso 14 desse mesmo texto. Vamos ler do 14 ao 20, para resumir a história:

14 Então foi o sacerdote Hilquias, e Aicão, Acbor, Safã e Asaías à profetiza Hulda, mulher de Salum, filho de Ticvá, o filho de Harás, o guarda das vestiduras (e ela habitava em Jerusalém, na segunda parte), e lhe falaram.
15 E ela lhes disse: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Dizei ao homem que vos enviou a mim:
16 Assim diz o SENHOR: Eis que trarei mal sobre este lugar, e sobre os seus moradores, a saber: todas as palavras do livro que leu o rei de Judá.
17 Porquanto me deixaram, e queimaram incenso a outros deuses, para me provocarem à ira por todas as obras das suas mãos, o meu furor se acendeu contra este lugar, e não se apagará.
18 Porém ao rei de Judá, que vos enviou a consultar o SENHOR, assim lhe direis: Assim diz o SENHOR Deus de Israel, acerca das palavras, que ouviste:
19 Porquanto o teu coração se enterneceu, e te humilhaste perante o SENHOR, quando ouviste o que falei contra este lugar, e contra os seus moradores, que seria para assolação e para maldição, e que rasgaste as tuas vestes, e choraste perante mim, também eu te ouvi, diz o SENHOR.
20 Por isso eis que eu te recolherei a teus pais, e tu serás recolhido em paz à tua sepultura, e os teus olhos não verão todo o mal que hei de trazer sobre este lugar. Então tornaram a trazer ao rei a resposta.

É um texto um pouco dramático sim…

Josias deu início à reparação do templo e automaticamente isso trazia reparação à vida espiritual daquela nação, a saber, Israel. Um belo dia, Josias pediu que Hilquias fosse conferir o dindin para reformar a casa do Senhor. O que ele não esperava, era o “prêmio” que viria com essa conferência. O povo ansiava por uma nova vida sim, pois tinham total consciência de que estavam no erro, mas não tinham quem os “levasse de volta ao caminho”, digamos assim. Ou seja: ver seu vizinho ao lado pecar, desanimava profundamente ao tentar se santificar. Era povo de dura cerviz.

Hilquias encontrou o livro da Lei e o leu perante Josias. Este ficou tão estarrecido pela não cumprimento da Lei do Senhor, que mandou consultarem um profeta acerca daquilo que estava determinado como castigo, tipo “Senhor, dá tempo de consertar? Socorro!”. Havia a identificação do pecado de idolatria em excesso.

Hulda então entra em cena. Nessa época, segundo a Palavra, Jeremias e Sofonias eram vivos e podiam perfeitamente terem recebido a visita do sacerdote Hilquias, e dos demais que estiveram junto a Hulda. Mas o Senhor escolheu uma mulher para falar o que Ele queria que soubessem.

No A.T. só existem registros de 2 profetizas mais: Miriã e Débora. Ou seja: Hulda foi um dos raros diamantes colocados entre pedregulhos na época da Lei. Mas existiu ainda uma falsa profetisa: Noadia. Não vamos falar dela agora.

Hulda tinha uma autoridade tão grande no Senhor, que foi escolhida pelo sacerdote para buscar ao Senhor pelo rei. E ela sabia da responsabilidade que tinha para com o serviço do Rei dos Reis. Mesmo num tempo em que tudo parecia escuro, contrário, Deus ainda falava. E por meio de uma mulher, Ele ressuscitou a vida espiritual de Israel.

Ela foi usada para transmitir a Palavra de Deus e para desmistificar a teoria de que só os homens poderiam profetizar, de que somente quando não havia homens, é que as mulheres entravam em ação. Jeremias era do bom! Mas Hulda foi escolhida pelo Senhor naquele momento. Josias também ganha destaque pois teve humildade em aceitar a palavra de Deus através de Hulda – uma mulher.

Quantos homens hoje deixam de cumprir o propósito de Deus por puro machismo, não é? Há quem diga ainda que mulheres não pode ir para frente do púlpito, quem ache que mulher é só para arrumar o arranjo da igreja…Dizem que a profecia de grandes servas de Deus não podem ser levadas em consideração pois não são “pastores”, e sim mulheres, “apenas”.

Há profetas para todos os momentos. Há quem te dê uma palavra na hora da dor, da alegria, da aflição, da vitória. Cada momento é diferente para Deus, assim como é para nós. Nem sempre falamos de tudo com a mesma pessoa, não é mesmo? Você comenta sobre trabalho com seu pastor, mas comenta sobre vida sentimental com mãe. Deus respeita essas diferenças também e tem uma criatividade imensa na hora de trabalhar na nossa vida dessa forma. Ele usa pessoas diferentes em momentos diferentes, para propósitos diferentes.

Hulda, uma mulher devota ao Deus vivo, colocou os dons espirituais ao dispor do Senhor e foi honrada por isso.

E nós, temos feito o mesmo? Que tal nos deixarmos ser usadas por Deus, meninas? Vamos nessa?

Deus abençoe!!

Mulher, a mais bela das criações

Valdenira Nunes

 

“E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gênesis 1:27).

Senti-me feliz e agradeci a Deus ao ler as palavras do Pastor Gary Haynes sobre a mulher, no prefácio da Bíblia de Estudo da Mulher (Trinitariana – Fiel). Ele disse:“Quando Deus criou a mulher, fez um ser tão especial e único, sem comparação em toda a natureza. Não consigo imaginar como o Universo seria chato e sem sabor se Deus tivesse parado a criação depois de fazer Adão. A mulher traz tantos dons e habilidades ao mundo, que suas contribuições à sociedade, em todas as áreas, desde o campo profissional até a família e o lar, são profundamente marcantes e singulares. A Terra não seria a mesma sem essa pessoa tão incrível!”
Vejam como é bom ser esta mulher que é amada por Deus, querida de Deus, que é o reflexo da Sua glória e que é amada também por seu marido e por seus filhos que a chamam de “bem aventurada” (Provérbios 31:28).

Uma vida inteira ainda é muito pouco para agradecer a Deus pelas tantas coisas que Ele faz por mim. Mas citarei apenas três, dentre tantas…

1- Agradeço a Deus por Ele ter-me feito à Sua imagem e semelhança.

*Deus é criativo e me fez uma mulher criativa;
*Deus é inteligente e me fez uma mulher inteligente;
*Deus é racional e me fez uma mulher racional.
Eu, então, fui criada por um Deus perfeito e, por ser mulher, faço parte da posição de Eva como “a mais bela das criações”.

Obrigada, Senhor, por ter-me criado à Sua imagem e semelhança (Gênesis 1:26), por ter-me feito de modo assombrosamente maravilhoso (Salmo 139:14), por ter-me criado para ser a glória do meu marido (1 Coríntios 11:7), e por me amar e ter-me escolhido para ser Tua filha (João 1:12) … Amém!

2- Agradeço a Deus por ser o reflexo da Sua glória.

Se sou o reflexo da glória de Deus, isto significa que eu reflito a Sua imagem. Que responsabilidade! Que privilégio!
Como filha de Deus, que reflete a Sua imagem, tenho que ter cuidado, tenho que me vigiar e me esforçar para ser obediente a tudo quanto Ele manda na Sua Palavra. O mundo que não conhece o nosso Salvador pode querer conhecer este Deus que eu aceitei e que sirvo se o meu testemunho, realmente, refletir a Sua glória.
Sei que não é fácil refletir esta glória mas sei também que se eu procurar ter um relacionamento mais profundo e mais íntimo com o Senhor, Ele estará bem junto a mim, caminhando lado a lado e me ajudando a mostrar ao mundo que o Deus bom e perfeito é o Deus que eu reflito através da minha vida, do meu testemunho.

“Senhor, obrigada pelo privilégio e pela responsabilidade que colocaste em minhas mãos de ser uma mulher que reflete a Tua glória. Sei que a meus olhos, esta é uma missão difícil mas sei também que Tu, meu Pai, me capacitarás a andar do modo que não Te envergonhe, do modo que todos que estão ao meu redor possam também Te amar e aceitar o Teu Filho Jesus como Salvador de suas vidas. Amém!

3- Agradeço a Deus por ter sido criada para viver em comunhão com Ele.

Viver em comunhão com o Senhor é um bálsamo para a minha alma. Para mim, é um privilégio poder chegar até o trono de Deus e poder abrir meu coração em atitude de louvor, adoração e reconhecimento por Seu tão grande amor por mim.

O Evangelhos de Lucas, capítulo 23 e versículos 44-45, me diz que “… era quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até à hora nona, escurecendo-se o sol; E rasgou-se ao meio o véu do templo.” Este acontecimento ocorreu quando Jesus morreu na cruz do Calvário para nos dar a vida eterna e nos presentear, quando o véu foi rasgado, com o verdadeiro caminho (Jesus) que nos leva até o trono de Deus, antes permitido, somente, ao sumo- sacerdote.
Agora, a qualquer momento, posso falar com Deus e ter comunhão com Ele. Existe presente mais precioso do que este? Existe milagre maior do que este? Eu, uma pecadora, poder chegar até o trono de Deus Pai e derramar diante dEle todos os meus problemas, preocupações, agradecimentos … E Ele me ouvir, me perdoar, me ajudar, me amar apesar dos meus muitos pecados e dos meus muitos defeitos.
Com o pecado de Adão e Eva a comunhão que havia com Deus no Jardim do Éden foi quebrada mas, graças a Jesus, o verdadeiro Cordeiro imolado no nosso lugar, foi possível a reconciliação entre o homem e Deus.

“Senhor, obrigada por teres me mostrado o caminho – Jesus Cristo – para eu poder ir até o Teu trono.
Obrigada por não mais ser preciso matar ovelhas pelos meus pecados porque o verdadeiro Cordeiro já foi imolado, derramando o Seu precioso sangue para me dar a vida eterna.
Obrigada, Pai, porque o véu do templo foi rasgado abrindo caminho para eu poder chegar até a Ti e ter comunhão constante conTigo.
É meu desejo, Senhor, obedecer-Te em tudo a fim de que esta comunhão tão maravilhosa (que é um céu para mim) seja a mais perfeita possível.
A Tua Palavra me diz que “com todo o meu coração Te busquei; não me deixes desviar dos Teu mandamentos”. E é isto, Senhor, que quero fazer: ser uma filha obediente a tudo que a Tua Palavra me disser e estar em constante comunhão com o Teu Espírito, orando, estudando a Bíblia, alegrando-me na ajuda que Tu, diariamente, me dás e na esperança que me ofereces todos os dias.
Amém!

Jael – Mulher corajossa e decidida

Valdenira Nunes

 

“Bendita seja entre as mulheres, Jael, mulher de Héber, o queneu; bendita seja entre as mulheres nas tendas.” (Juízes 5:24)

Ao ler Juízes 4 e 5, descobrimos a história de uma mulher decidida e corajosa, cujo nome, Jael, significava “cabra selvagem ou montês”.
E a própria Bíblia diz, em Juízes 5:24, que ela era bendita entre as mulheres nas tendas.
Ela não era judia e, juntamente, com seu marido Héber, fazia parte de uma tribo nômade. Ela e seu esposo eram queneus.
Jael jamais imaginou que, um dia, iria ser elogiada pela juíza de Israel Débora  e por Baraque, o comandante do exército. E, pelas palavras de elogio deles, vimos que Deus a considerou amiga de Israel.
Jael jamais imaginou que um dia amaria o Deus de Israel. E esse amor foi demonstrado de um modo inusitado.

Vejamos como tudo começou…
1- Ao lermos Juízes 4:10, vemos Baraque convocando Zebulom e Naftali para a guerra. E, juntamente, com eles ia a juíza Débora:
“Então Baraque convocou a Zebulom e a Naftali em Quedes, e subiu com dez mil homens após ele; e Débora subiu com ele.”
Israel estava em guerra. Os filhos de Deus estavam guerreando contra Canaã.

2- No versículo 11, vemos Héber, esposo de Jael, armar as suas tendas perto de onde se desenrolava as batalhas. A Bíblia nos diz que “… Héber, queneu, se tinha apartado dos queneus, dos filhos de Hobabe, sogro de Moisés; e tinha estendido as suas tendas até ao carvalho de Zaanaim, que está junto a Quedes.”
Nesta decisão de Héber e Jael, vemos a mão de Deus agindo para, lá na frente, dar vitória aos filhos de Israel que haviam tornado “a fazer o que era mau aos olhos do Senhor.” Mas o nosso Deus, o mesmo Deus do povo de Israel, ouviu o clamor deste povo que estava em desobediência e decidiu ajudá-los, pois o inimigo comandado pelo capitão Sísera tinha um grande exército com cerca de novecentos carros de ferro.
Aos olhos dos filhos de Deus, era humanamente impossível vencer o inimigo. Mas o Senhor agiria para dar vitória a Seu povo.

Nós também, assim como eles, enfrentamos batalhas tanto materiais como espirituais e, muitas vezes, nos prostramos e desistimos de lutar porque esquecemos que temos um Deus que cuida de nós e age quando reconhecemos o nosso erro e entregamos tudo a Seus cuidados.

3- Continuando os passos escolhidos pelo Senhor para dar vitória a Seus filhos, lemos em Juízes 4:16 o seguinte acontecimento:
“E Baraque perseguiu os carros, e o exército até Harosete dos gentios; e todo o exército de Sísera caiu a fio da espada, até não ficar um só.”
Como o nosso Deus é um Deus bom, misericordioso e um Deus que nunca nos abandona! Baraque conseguiu matar a todos.

4- Mas a Bíblia ainda nos diz que “… Sísera fugiu a pé à tenda de Jael…” (Juízes 4: 17). Certamente, ele chegou muito cansado, faminto, com sede e precisava de ajuda.
Deus, para dar vitória a seu povo, dirigiu este capitão derrotado à tenda de Jael. Vejam as palavras deste inimigo ao chegar junto à Jael:
“Dá-me, peço-te, de beber um pouco de água, porque tenho sede. Então ela abriu um odre de leite, e deu-lhe de beber e o cobriu.”
Quando Sísera pediu água e Jael lhe deu leite, ela estava oferecendo o que havia de melhor em casa. “O povo daquela região apreciava esta bebida, feita com leite de cabra colocado num odre velho que, depois, era chacoalhado. O leite, então, azedava ou fermentava, quando misturado com as bactérias que permaneciam no odre já usado anteriormente.” (Ann Spangler / Jean Syswerda)
Passo a passo, ele ia confiando naquela mulher que o tratava tão bem e… finalmente dormiu.
Com certeza, o Senhor seguia cada ação dela. Ela já conhecia os filhos de Deus e já conhecia, também, o Deus desse povo. Ela começou a se preparar para exterminar o último representante dos inimigos do povo de Deus.
É, então, no versículo 21, que podemos ver as mãos de uma mulher matar o único inimigo que ainda estava vivo. Ele era um heroína? Não sei! Oportunista? Não sei! Ela era traiçoeira? Também não sei! O fato é que a Bíblia nos diz que… “… Jael, mulher de Héber, tomou uma estaca da tenda, e lançou mão de um martelo, e chegou-se mansamente a ele, e lhe cravou a estaca na fonte, de sorte que penetrou na terra, estando ele, porém, num profundo sono, e já muito cansado; e assimmorreu.” (Juízes 4:21)
Para nós, esta atitude de Jael é, realmente, chocante. Mas Deus não a incrimina de nada. Ela, na verdade, foi um instrumento usado por Deus para dar vitória a Seus filhos.
O canto da juíza Débora e do capitão Baraque exaltou esta “amiga de Israel” e o (o canto) colocou nas páginas da Bíblia Sagrada. Eis o cântico…

Cântico de Débora e Baraque

“……………………………………………………..
Bendita seja entre as mulheres, Jael,
mulher de Héber, o queneu;
bendita seja entre as mulheres nas tendas.
Água pediu ele, leite lhe deu ela;
em prato lhe ofereceu manteiga.
À estaca estendeu a sua mão esquerda,
e ao martelo dos trabalhadores a sua direita;
e matou a Sísera, e rachou-lhe a cabeça,
quando lhe pregou e atravessou as fontes.
Entre os seus pés se encurvou,
caiu, ficou estirado;
entre os seus pés se encurvou, caiu;
onde se encurvou, ali ficou abatido.”

Assim como Jael que foi “amiga de Israel”, que foi chamada de “bendita” por Débora e Baraque, que lutou pelo povo de Deus, prontifiquemo-nos diante do Senhor para sermos usadas naquilo que Ele preparou para nós.
Agradeçamos a Deus por Ele nos usar como instrumentos para levar salvação aos perdidos.
Que Ele nos dê coragem, sabedoria e discernimento para entendermos quais os Seus planos para nossa vida.
Que nos momentos das batalhas, estejamos sempre junto dAquele que vai sempre nos orientar, dirigir e nos dar a vitória – o Senhor nosso Deus.

“Senhor, obrigada por seres um Pai sempre presente. Obrigada por me dares força, sabedoria e coragem naqueles momentos em que penso que tudo está perdido.
Que eu tenha sempre o coração aberto para o Teu chamado. Que Tu possas me usar nos Teus planos perfeitos e que eu sinta que estás sempre comigo.
Obrigada, Pai!”

Você, minha querida, quer ser uma pessoa de coragem?
Você quer estar no centro da vontade de Deus?
Você quer ter a sabedoria necessária para fazer decisões dentro dos planos de Deus para a sua vida?
Então, minha irmã, escolha aquele lugarzinho secreto onde só você e o Senhor podem ter momentos de comunhão. Cante hinos que louvem a Deus e que saiam de dentro do seu coração…  deleite-se lendo a Bíblia, pois é exatamente ali onde você aprenderá dEle… Nestes momentos de comunhão deixe Ele falar ao seu coração e depois… ore… ore… ore…! E é, então, nestes momentos, que podemos sentir o quanto Ele nos ama, o quanto cuida de nós, como está sempre do nosso lado. Só podemos agradecer e dizer…

“Obrigada, Pai! Obrigada porque quando estou atravessando o vale da sombra  da morte, Tu não me abandonas… estás ali do meu lado cuidando de cada pedacinho do meu coração. Quando minhas pernas já não suportam mais sustentar meu corpo cansado, Tu me carregas em Teus braços sussurrando em meu ouvido: ‘Filha não desfaleças, pois estou aqui contigo! Eu te amo como ninguém jamais te amou! Confie em Mim! Lá adiante, tenho preparado coisas boas para ti!’ E é, então, que me torno forte, corajosa e capaz de enfrentar as batalhas ou guerras que se apresentarem diante de mim.”

Já preparada para a luta, então, me revisto da armadura de Deus vestindo cada peça que tenho que usar para me defender do inimigo e, no fim, sair vitoriosa.

Orar pelos meus inimigos?

De todas as coisas que Jesus nos falou para fazer orar pelos inimigos é  sem dúvida a mais complicada.  Muitos ainda pregam o contrário; que você deve fazer uma oração “amarrando”, “derrubando” , a vida de qualquer pessoa que esteja fazendo algum mal. Mas onde está escrito? “Ouvistes o que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e oram por aqueles que os perseguem.”(Mateus 5.43-44 (NVI)

Não estou dizendo que é algo fácil de ser feito, mas Deus nunca nos mandaria fazer algo que não fôssemos capazes de fazer. Se você precisa ser trabalhado nessa área, então peça a Deus sabedoria para fazê-lo. Tudo o que você precisa fazer é estar com o coração aberto para mudanças!

 “Desejo-lhe tudo em dobro!”

Essa frase funciona meio que como um “lavar de mãos” para muitas pessoas, nesse caso eu pergunto: – Está certo então, se uma pessoa de desejar o bem você vai desejar o dobro para ela, mas e se uma pessoa lhe desejar o mal? Você ainda vai desejar o dobro? Isso me faz lembrar da história do escorpião e do sábio:

“Certa vez um sábio desancava na beira do rio quando de repente ele viu um tronco de árvore quase afundando com um escorpião nele, sem pensar duas vezes o sábio atirou-se no rio e pôs-se a ir em socorro do escorpião, quando o sábio finalmente alcançou o escorpião e o pegou para socorrer o escorpião tentou picá-lo, ele então largou o escorpião que por sua vez caiu na água e começou a afundar de encontro a morte, o sábio, de uma forma mais rápida ainda pegou o escorpião arrastando-o para mais perto da margem, o escorpião então tentou picá-lo mais uma vez, o sábio então o largou, e nessa de “pegar e soltar” o sábio conseguiu trazer o escorpião para a margem e salvá-lo. Curioso com o ocorrido, um jovem aprendiz que assistia a tudo com atenção perguntou ao sábio: – Porque salvar o escorpião se ele tentou picá-lo inúmeras vezes? De uma forma simples, e sorridente o sábio respondeu: – Ele agiu conforme a natureza dele, e eu conforme a minha!”

Nunca se esqueça que uma vez filho de Deus, passamos a ter o Espírito Santo morando dentro de nós. Sendo assim, procure agir de acordo com essa responsabilidade! Não é por que as pessoas lhe desejam mal ou  perseguem que você tem que agir da mesma forma. Deus quer uma atitude diferente de sua parte!

As pessoas podem se proteger de suas agressões e de suas palavras, mas nada podem fazer contra sua oração!

Que o Senhor Jesus abençoe a você e a toda sua família.

::Juan Phillipe – Colaborador do Portal Lagoinha.com

Blog: Juan Phillipe